Tag: Esportes ao ar Livre

Irmãos Bryan servem sacolas Slinger


O Slinger Bag, a primeira máquina de bolas de tênis portátil do mundo que deve revolucionar o tênis este ano, serviu de surpresa a dois aficionados por tênis com a entrega de dois pilotos famosos.

Os Bryan Brothers, campeões de Grand Slam, ex-número um do mundo e geralmente os melhores tenistas fizeram uma parceria com o Slinger Bag para fazer a bola rolar nas entregas do produto revolucionário. Os gêmeos californianos tiveram um sucesso fenomenal em turnê e no ano passado anunciaram que esse seria o último da turnê. Mas eles precisam experimentar a sacola do Slinger por si mesmos.

Não é todo dia que dois dos jogadores mais condecorados do jogo aparecem à sua porta – então os floridianos Rodrigo e Hugo Moreno, loucos por tênis, tiveram a surpresa de suas vidas quando recebiam esse serviço exclusivo de entrega de luvas brancas.

Bob e Mike Bryan, que são embaixadores da marca global da Slinger Bag, entregaram em mão o novo e revolucionário lançador de bolas portátil, fazendo de Hugo e Rodrigo algumas das primeiras pessoas no mundo a colocar as mãos no produto ansiosamente esperado.

Os dois sortudos fãs de tênis – que apoiaram a super bem-sucedida campanha de crowdfunding da Slinger Bag, na qual a empresa levantou mais de US $ 1 milhão – saíram com os Bryan Brothers para conhecer o produto e ouvir histórias impressionantes de sua carreira.

Ao falar sobre a entrega, os Irmãos disseram: “Foi muito legal conhecer Hugo, Rodrigo e suas famílias. Estamos muito empolgados por poder compartilhar esse produto incrível com outros fãs de tênis. A reação em seus rostos ao receber seus lançadores Slinger valeu a pena a visita.

“Depois de usar o novo iniciador durante uma sessão de treinamento, nós dois nos tornamos fãs instantâneos do Slinger Bag – ele adiciona muito treinamento divertido na quadra. Eu acho que o Slinger Bag está definido para se tornar o melhor parceiro de treinamento para jogadores de tênis, pois oferece aos jogadores a oportunidade de acertar bolas de qualidade com mais frequência onde quer que estejam, quando quiserem. ”

Rodrigo, um dos sortudos a receber o produto em primeira mão, acrescentou: “Foi uma honra receber os Bryan Brothers em nossa casa – esses caras são lendas do jogo. Estou muito empolgado em ir à quadra com minha Slinger Bag e acertar algumas bolas. ”

Falando sobre a entrega, o CEO da Slinger Bag, Mike Ballardie, acrescentou: “Queríamos agradecer a alguns de nossos apoiadores, para poder recompensá-los por seu apoio, pois o financiamento coletivo foi ótimo. Este é apenas o começo da história do Slinger Bag e estamos ansiosos para trazer sorrisos aos rostos dos fãs de tênis em todo o mundo. ”

O Slinger Bag é o revolucionário lançador de bolas portátil para todos os jogadores de tênis que se tornarão seus parceiros de treinamento 24/7. É o mecanismo de treinamento ideal, independentemente da configuração de jogo ou da disponibilidade de um parceiro de jogo, além de ser a opção de treinamento mais acessível do mercado. Você pode assistir a entrega aqui.

Para obter mais informações sobre o Slinger Bag, acesse – https://slingerbag.com, onde você pode pré-registrar seu interesse para comprar o produto.

Gillingham 2019-20 Season Review com Lee Clifton e Craig Everitt


Gillingham teve uma campanha progressiva de 2019-20, então Gabriel Sutton conversou com os fãs Lee Clifton (@FOM_BLOG) do fórum Gillingham Debate e Craig Everitt (@ bigev84) para obter suas opiniões sobre como Steve Evans melhorou suas fortunas.

Gab: Gillingham teve sua melhor temporada desde 2015-16. O que você acha que foram as principais coisas que mudaram para facilitar essa progressão? Você claramente foi mais difícil de jogar com Steve Evans, para iniciantes …

Lee: Defesa – sofremos apenas 34 gols em 35 jogos da liga.

Apenas Coventry City, Sunderland e Doncaster Rovers obtiveram um melhor recorde defensivo na Liga Um nesta temporada e em nossos oito jogos finais antes da temporada ser interrompida, mantivemos quatro gols em oito partidas contra Lincoln City, Southend United, Shrewsbury Town e Burton Albion, com oito pontos dos quatro.

Formulário em casa – vencemos nove, empatamos três e perdemos cinco no Priestfield Stadium, marcando vinte e sete e concedendo 17. E com cinco jogos em casa pela frente contra Fleetwood Town, Accrington Stanley, Bristol Rovers, Tranmere Rovers e Coventry City, depois Gillingham teria estado a olhar para estes cinco jogos em casa para qualquer potencial empurrão tardio para as posições de play-off da Liga Um.

Steve Lovell sempre será uma lenda no Gillingham Football Club como jogador, como treinador e por seu feitiço gerencial nas temporadas 2017-18 e 2018-19 por manter Gillingham na League One. Uma das coisas com as quais Steve Lovell lutou foi vencer jogos em casa, com apenas 12 vitórias em casa nessas duas temporadas; embora Lovell não tenha sido o responsável por todas as temporadas. Isso é compreensível em alguns aspectos, porque estávamos lutando para manter nosso status de League One nas duas vezes.

Expectativas – Não estivemos envolvidos na batalha de rebaixamento da Liga Um nesta temporada e estivemos olhando para cima da mesa, e não por cima dos ombros, enquanto as últimas três temporadas nos viram envolvidos na batalha de rebaixamento da Liga Um, incluindo evitar o rebaixamento no campeonato. último dia da temporada 2016-17 com um empate 0-0 em Northampton.

Embora eu não tenha conseguido nos ver conquistando pontos suficientes nos nove jogos finais para chegar aos playoffs, apenas estar na conversa é uma mudança agradável nas batalhas de rebaixamento nas últimas temporadas. Se pudéssemos terminar esta temporada entre os dez primeiros, isso poderia nos dar algum impulso e um sentimento genuíno de que poderíamos dar um empurrão sério no Play-Off na próxima temporada.

Craig: Eu sinto que a resposta básica é que é apenas alguém novo no clube: alguém que não teve nenhuma afiliação com o clube antes de ingressar como ex-jogador ou gerente.

Na última temporada, Steve Lovell esteve no clube e foi um herói cult. Nós o amávamos e ele amava o clube. Sim, ele tinha paixão e comprometimento, mas no passado, como Hessenthaler e Ady Pennock, eu pessoalmente acho que foi isso que foi contra eles. Eles eram mais um fã e um amante do clube do que um gerente!

Mude-se para Steve Evans e ele comprou seu próprio estilo para o clube: uma nova disciplina, uma melhor experiência e novas idéias para jogar.

Uma das coisas que às vezes é jogada em Evans é que seus sucessos – principalmente em Crawley e Rotherham – foram baseados no poder de compra. Ele está provando em Gillingham, porém, que ele tem as qualidades necessárias para criar uma roupa competitiva sem as vantagens financeiras?

Lee: Sim muito mesmo. Steve Evans sabia que aqui, as finanças e os recursos não estarão lá em comparação com os recursos que ele tinha à sua disposição em Crawley e Rotherham. Uma das coisas que Evans falou no Fórum dos fãs no ano passado foi investir cada centavo adequadamente e tirar todo o orçamento do jogo, além de olhar para jovens jogadores de nossa juventude, como Jack Tucker e Joe Walsh, que foram oportunidades de jogar pelo primeiro time.

Temos sido muito competitivos, mas também tivemos sorte na frente de lesões, e se quatro jogadores da primeira equipe enfrentassem lesões prolongadas, estaríamos reduzidos ao mínimo. Certificar-se de que há muita profundidade no plantel, além de fortalecer o XI, será essencial para a próxima temporada, além de podermos apoiar nossos principais jogadores.

Uma mudança na Premier League para Bradley Dack certamente nos ajudaria. Se o Blackburn vendesse o Dack por uma taxa, obteríamos uma porcentagem. Foi o que aconteceu conosco quando o West Ham contratou Matty Jarvis do Wolves; essa taxa nos permitiu fortalecer a equipe para a nossa campanha vencedora do campeonato da liga dois.

Paul Scally manteve a dívida de Gillingham livre ao longo dos anos e, embora ele não deva ser imune a críticas por uma falta de comunicação percebida às vezes, ele também fez algumas coisas boas. Como você avalia a gestão do clube?

Lee: Acho que a idade do torcedor com quem você fala verá essa resposta mudar drasticamente.

Quando Gillingham evitou o rebaixamento da Liga de Futebol Americano e entrou em falência em 1994, enfrentando a possibilidade de perder o clube para sempre, então os fãs que assistiram Gillingham naqueles tempos apreciarão O Presidente entrando e salvando o clube de futebol de sair do negócio .

Aqueles anos que tivemos entre 1995 e 2005 foram e ainda são considerados a maior era de Gillingham para o que conseguimos alcançar nesses dez anos, sob a administração de Paul Scally.

Promoção da antiga Divisão Nacional de Terceira Divisão para a Segunda Divisão (agora denominada Liga Um), estabelecendo-se lentamente como uma equipe da Segunda Divisão antes de chegar à final do playoff em temporadas sucessivas contra o Manchester City e o Wigan Athletic, vencendo a última por outra promoção.

Conseguimos cinco anos no campeonato e realizamos algumas corridas memoráveis ​​nas copas, enquanto Priestfield também foi reformulado e ele operou com uma política de venda progressiva de ingressos para incentivar jovens fãs.

No entanto, os torcedores mais jovens que viram Gillingham ganhar o título da Liga Dois, mas lutam para manter o status de Liga Um, bem como as derrotas da FA Cup para Dover, Stevenage e Brackley, farão perguntas diferentes: por que Gillingham não pode ter um objetivo maior do que a sobrevivência?

A crítica de Scally seria uma falta de investimento na equipe de jogadores nos últimos quatro anos – depois de muito investimento sob Justin Edinburgh.

As conversas sobre um novo estádio foram interrompidas e alguns diriam que ele teve uma abordagem de “Empregos para os meninos” – Peter Taylor, Andy Hessenthaler, Ady Pennock e Lovell foram todos contratados como gerente de Gillingham pelo segundo ou terceiro feitiço deles. clube – outros ganharam papéis de treinador com base em seu histórico de jogo.

Os torcedores talvez desejem alguém com um candidato em potencial como primeiro gerente de equipe, mas, por todos os meios, tenha uma antiga lenda em segundo plano como treinador para trabalhar com os jogadores mais jovens.

A falta de transparência foi mencionada e a falta de comunicação com os apoiadores também é outra crítica válida. As coisas melhoraram nessa frente com o Fórum de Fãs nas últimas temporadas. Os torcedores poderiam ir falar com o presidente e o presidente-executivo, Tom Lawrence, entrando no clube de futebol também fez um trabalho notável também. Eu acho que é justo dizer que mais comunicação e mais informações também seriam úteis, mas esses são passos positivos.

Considerando a incrível partida da FA Cup contra o West Ham e a nossa forma de liga, esta temporada provavelmente foi a segunda melhor de Gillingham na Liga Um – então talvez as coisas possam ir lentamente na direção certa, afinal.

Craig: Não sou pró-senhor Scally, mas também não sou anti. O que sinto é que sem esse homem, não teríamos um clube de futebol. Ele nos salvou da morte.

Temos um orçamento pequeno, sim, e foi frustrante ver times em que jogávamos semana após semana como Fulham, Brighton e Bournemouth (para citar alguns) florescer nas terras prometidas da Premier League, enquanto temos chegou ao campeonato apenas uma vez e permaneceu apenas uma liga melhor do que quando Paul assumiu todos esses anos atrás.

Mas a história mostra que somos um clube antigo de terceiro ou quarto escalão, e entrar no campeonato na época era nosso momento na Premier League.

Sim, quero viver o estilo de vida da FIFA como todos e vencer a Liga dos Campeões a cada temporada – mas isso não vai acontecer com Gillingham!

Nunca estivemos em grande parte sob o comando de Paul e é isso que é importante, e acredito que em algumas temporadas ele realmente tentou apoiar a gerência na obtenção de sucesso.

Coisa frustrante é apenas ele dizendo “Estou conversando com novos investidores” ou “Eu quero um novo terreno” no entanto, isso nunca parece acontecer. Por que é que?

É bom para o clube ou apenas para ele? É aí que alguns fãs não tem certeza.

Quando Tomas Holy estava em Gillingham, ele sempre parecia ser o salvador divino, mantendo você em jogos. Com Jack Bonham, ele é igualmente impressionante, mas talvez menos notável devido ao fato de os outfielders serem mais fortes?

Lee: Substituir Tomas Holy nunca seria fácil, especialmente quando Tom Eaves saiu no mesmo verão para assinar com o Hull City – tivemos que encontrar substitutos para o goleiro de primeira escolha e o melhor marcador das duas temporadas anteriores na mesma transferência janela.

Jack Bonham entrou e não apenas fez um trabalho excepcional substituindo Tomas Holy como nosso número um, mas ainda acho que ainda há mais por ele e ele só pode melhorar com mais tempo de jogo.

Dê algumas temporadas e acho que Bonham será visto como um goleiro de Gillingham melhor que o Holy – o que é realmente um grande elogio.

A melhora de Bonham também se resume ao treinador de goleiros Simon Royce, que trabalhou com ele em Brentford e foi uma das principais razões pelas quais ele assinou.

Royce trabalhou com Simon Moore, David Button e Daniel Bentley durante seu tempo em Brentford e se Jack Bonham deveria ficar em Gillingham a médio e longo prazo, é essencial que ele permaneça.

Royce também é o favorito dos fãs de Gills, tendo ganho a promoção nos playoffs da Liga Dois em 2009.

Eu também diria que a estrutura da equipe é mais forte nesta temporada em comparação à temporada passada, o que pode lhe dar a resposta sobre por que Jack Bonham tem sido menos perceptível ao comparar suas performances no gol de Gillingham para Tomas Holy.

Craig: Jack, ainda acho que precisa de mais uma temporada para julgá-lo. Acho que você está certo quando diz que o campo externo dele o ajudou muito.

Ele fez algumas boas defesas e também tem um bom histórico de pênaltis este ano, mas ele (para mim) é um herói desconhecido, onde faz seu trabalho e talvez no momento não tenhamos visto o quão bom ele é. tinha muito o que fazer.

Jack Tucker parecia um zagueiro diligente na primeira metade da temporada – desde então ele demonstrou que também pode atuar igualmente bem no zagueiro. Você acha que aprender com um profissional consumado como Barry Fuller deu o tom para uma carreira emocionante?

Lee: Tucker aprendeu muito jogando ao lado de Barry Fuller, Max Ehmer e Connor Ogilvie, com os três jogadores jogando mais de cem vezes para Gillingham; Ehmer, 250, Fuller, 230 e Ogilvie, 120.

Ele está jogando ao lado de três defensores com muita experiência e jogando semana após semana, o que é melhor para o desenvolvimento de Jack Tucker do que para jogar no futebol de sub-23.

Quando assinamos novamente Barry Fuller em 2018, todos pensaram: “brilhante assinatura de backup”.

Ele seria uma forte influência fora do campo, ajudando nossos jogadores mais jovens, mas o que não esperávamos ver era Fuller nomeado Jogador da Temporada de Gillingham.

Fuller jogou a maioria dos jogos na temporada passada pelo lateral esquerdo e, mesmo quando contratamos Lee Hodson no verão, pensávamos que ele poderia ser reserva, mas novamente ele manteve seu lugar no XI e, portanto, não acho que alguém o faria. se surpreenda se Barry recomeçar regularmente na próxima temporada.

As atuações de Tucker não passaram despercebidas: o clube mudou rapidamente para vinculá-lo a um contrato estendido, colocando Gillingham em uma posição de negociação mais forte caso os clubes da Premier League e do Campeonato quisessem contratá-lo.

Se Tucker se desenvolver da mesma maneira que John Egan se desenvolveu durante seu tempo em Gillingham, ele subirá rapidamente nas divisões.

Craig: Eu acho que está tendo boas cabeças em torno de Jack, ponto final, não apenas tendo Barry lá. Max Ehmer e Ogilvie têm bons antecedentes e são muito bons no que fazem.

Os três outros que trabalham com Jack foram fundamentais para ajudar uma perspectiva muito boa.

Como Tucker, Connor Ogilvie também pode jogar em duas posições … ele foi fantástico no zagueiro em algumas partes da temporada, mas às vezes voltou ao seu antigo papel de lateral esquerdo. Um jogador da temporada?

Lee: Max Ehmer, Connor Ogilvie e Jack Tucker são os três principais candidatos ao Prêmio Jogador da Temporada de Gillingham.

O fato de todos os três jogadores mencionados serem defensores diz tudo o que você precisa saber sobre qual área do time melhorou dramaticamente nesta temporada.

Acho que Connor Ogilvie tem sido nosso POTS: ele é muito consistente, pode jogar no zagueiro central, lateral esquerdo em três e lateral esquerdo, onde fez a maioria de suas aparições.

Além disso, ele marcou alguns gols importantes, vencendo contra Sunderland, Rochdale e Southend United.

Acho que Tucker será o jovem jogador da temporada de Gillingham.

Se houvesse um prêmio para o jogador mais aprimorado, Max Ehmer venceria, porque parece que ele está voltando ao seu melhor.

Ehmer passou de deslocar o ombro na derrota em casa por 2 x 1 contra o AFC Wimbledon, para começar no Sunderland no empate por 2 a 2, apenas uma semana depois, o que mostra tudo sobre seu personagem.

O problema que Gillingham tem é que os clubes da Premier League e Championship já manifestaram interesse em contratar Ogilvie e Tucker.

O primeiro só tem um ano de contrato, então precisamos fazer todo o possível para vinculá-lo a um contrato estendido.

O West Ham está interessado em Tucker e, se uma oferta decente surgir, seria difícil recusar.

Craig: Sem sombra … quaisquer outras opções são nulas e sem efeito para mim.

Ele é melhor quando joga CB para mim. E o que vimos neste ano que, vindo de um time como o Spurs, há algo que mostra que ele não está no nível em que deveria estar jogando, com certeza.

7. O que me interessa nas suas opções de zagueiro é que nem Tucker, Ogilvie nem Max Ehmer, que estão no clube há meia década, eu consideraria o domínio aéreo como um Leon Legge ou um Gabriel Zakuani. Você está surpreso por não ter um especialista em aviação na parte de trás? O seu registro defensivo é testemunha da inteligência desses defensores?

Lee: Ser capaz de citar cinco consistentes costas em Jack Bonham, Barry Fuller, Max Ehmer, Jack Tucker e Connor Ogilvie foi crucial.

Além disso, os zagueiros Alfie Jones e Tom O’Connor se alinharam no meio-campo na frente desses cinco jogadores, então há uma base muito sólida no meio-campo, que desempenha suas funções defensivas muito bem.

Nomear defensores no meio-campo que cumprem suas funções defensivas tão bem – Stuart O’Keefe também desempenha suas funções defensivas profissionalmente – talvez tenha aliviado a pressão implacável dos cinco defensores.

Ter Bonham, Fuller, Ehmer, Tucker, Ogilvie, Jones, O’Keefe e O’Connor todos em campo ao mesmo tempo nos tornou sólidos defensivamente, mas talvez à custa do ataque.

Marcamos apenas 42 gols em 35 jogos da liga, e encontrar uma maneira de manter esse impressionante recorde defensivo, além de tentar melhorar o ataque, será um desafio difícil.

Acho que Gillingham contratará um defensor especialista em cobertura aérea para Max Ehmer, Jack Tucker e Connor Ogilvie, e é por isso que Ben Nugent deixando Gillingham há algumas temporadas foi uma vergonha.

Ele era visto como o zagueiro perfeito, alguém que se encaixa na descrição de um zagueiro central da liga inferior.

Talvez este jogador especialista aéreo seja alguém com experiência que possa vir da mesma maneira que Barry Fuller assinou inicialmente e fornecer algum conhecimento muito necessário aos nossos jovens jogadores.

Craig: Max está conosco há seis temporadas agora…. Tenho certeza que ele tem e acho que ele tem sido uma parte importante (especialmente nas duas últimas temporadas) da solidez defensiva.

Contrariando o que eu disse anteriormente, ele conhece o clube e jogou com jogadores como Legge e Zakuani e aprendeu diferentes aspectos deles. Em troca, isso o ajudou a se tornar o jogador que ele é.

Ele é a figura do pai agora nas quatro costas (Barry, o avô) e os jogadores o admiram com a maneira como ele joga e com o conhecimento que tem do nosso clube.

Precisa renovar seu contrato este ano para mim, pois ele está sem contato no final desta temporada.

Como mencionado acima, você tem jogadores que podem cobrir mais de uma posição e outro exemplo seria Thomas O’Connor, emprestador de Southampton, que jogou pela lateral esquerda por algumas partes da temporada, mas que recentemente entrou à esquerda da esquerda. diamante. Você acha que Evans gosta de versatilidade nos jogadores?

Lee: Com sua pergunta anterior sobre a falta de poder de compra em Gillingham, em comparação com o que Steve Evans teve que trabalhar em Rotherham United e Crawley Town, acho que contratar jogadores com versatilidade e poder jogar em várias posições é uma das maneiras pelas quais Gillingham está ganhando cada grama. fora do orçamento de jogo nesta temporada.

Tom O’Connor pode jogar em qualquer lugar do lado esquerdo, bem como entrar como meio-campo defensivo.

Alfie Jones pode jogar no meio-campo e meio-campo defensivo, Connor Ogilvie pode jogar em algumas posições na defesa, Jack Tucker atuou no lateral-direito, mas jogou principalmente no coração da Defesa, e Jordan Roberts pode jogar em qualquer ala , como meia-atacante ou adiantado, de modo que a versatilidade tenha sido um trunfo fundamental para nós.

Isso nos permite fazer mudanças táticas sem precisar fazer uma substituição. Não tenho certeza se Steve Evans gosta ou não de versatilidade nos jogadores, mas ele pode ter tropeçado em algo que funciona e melhorou em algo que funciona à medida que a temporada avança.

Talvez durante a entressafra, veremos Gillingham contratar um ou dois jogadores especializados em uma posição, mas a maioria das contratações serão de jogadores que podem cobrir duas ou três áreas, apenas para que possamos tirar toda a grama do jogo despesas.

Craig: Qualquer gerente deve gostar disso, mas sim, isso parece ser uma característica de Evans com a maioria dos jogadores.

E eu acho que ter um arco extra para o seu talento é uma enorme vantagem estar nesta equipe.

Evans quer usar você em sua capacidade total. E vou dizer que eles estão voltando melhores jogadores para isso. Embora não elogie Evans, é mais obviamente o tempo de jogo.

O O’Connor está emprestado de Southampton, assim como o meia Alfie Jones, que recebeu ótimas críticas. Os santos são famosos por sua academia, então você acha que poderia começar a construir um relacionamento e continuar a provar seus principais talentos jovens?

Lee: Alfie Jones e Tom O’Connor foram de primeira classe durante o período de empréstimo no The Gills.

Se conseguirmos contratar os dois jogadores emprestados para a próxima temporada, isso seria fantástico. Se o sucesso dos empréstimos de Jones e O’Connor é o início de um relacionamento de empréstimo bem-sucedido entre Gillingham e Southampton, e eles estão cobrindo o salário dos jogadores que mandam, isso pode ser benéfico para os dois clubes.

Obviamente, Southampton prefere que seus jovens jogadores se desenvolvam jogando futebol competitivo no primeiro time.

Gillingham deu a Jones e O’Connor a oportunidade de fazer isso na League One e ambos mostraram sua versatilidade.

Sempre me surpreendi, considerando que Arsenal, Chelsea, Tottenham, West Ham United e Crystal Palace estão tão próximos de Gillingham geograficamente em comparação com Southampton, que não vemos mais jogadores jovens desses clubes assinando empréstimos e lá não é o começo de uma relação de empréstimo mutuamente benéfica entre nós e um dos clubes da Premier League de Londres.

Craig: Acho que sim, mas também acho que a chave para isso é manter Evans. Ele tem contatos.

Novamente, voltando à administração anterior, os contatos podem não ter sido tão bons quanto o que o Sr. E tem.

Dizendo que, se perdermos Steve, um gerente precisa entrar com a mesma experiência e entrar em contato com o bônus adicional de não ser um herói de culto.

Escusado será dizer que cuidamos desses jogadores e clubes.

Regan Charles-Cook está na periferia este ano, o envolvimento de Matty Willock foi limitado por lesões e Ousseynou Cisse foi emprestado a Leyton Orient – ele acrescentou um pouco de qualidade ao meio-campo. Com o O’Connor, o emprestador de Jones e Hearts, Olly Lee, voltando aos clubes-pai, algum desses jogadores poderia ganhar mais oportunidades no meio-campo?

Lee: Estou surpreso com a falta de tempo de jogo para Regan Charles-Cook.

Nesta temporada, ele marcou o gol da vitória de Gillingham contra o Accrington Stanley, marcou um gol sensacional contra o Blackpool na dramática vitória de Gillingham por 3-2 em Bloomfield Road e marcou contra o AFC Wimbledon; embora Gillingham tenha perdido naquele dia, Charles-Cook entrou e causou um impacto impressionante.

Ele é muito diferente dos outros médios que temos no clube de futebol; ele tem ritmo, truques e habilidade, leva os jogadores e tenta coisas que outros jogadores do nosso meio-campo não consideram tentar.

Matty Willock teve uma temporada muito parada e seu tempo de jogo foi limitado porque Alfie Jones, Stuart O’Keefe, Tom O’Connor, Mark Byrne, Regan Charles-Cook e Olly Lee estavam à sua frente no jogo. ordem hierarquia.

Posso ver Willock e Charles-Cook desempenhando um papel maior na próxima temporada, mas também espero que Gillingham possa assinar novamente Jones, O’Connor e Olly Lee e que possamos manter esse forte grupo de jogadores juntos.

Só acho que Ousseynou Cisse estará tão baixo na hierarquia e ele poderá sair no verão; se há uma opção para a Ousseynou Cisse assinar com o Leyton Orient permanentemente, acredito que o acordo será concluído no período de entressafra.

Outro meio-campista não listado nos meio-campistas listados na pergunta é Ben Pringle. Se houver uma escolha de qual jogador permanecerá e qual jogador sairá de Pringle e Cisse, Pringle permanecerá porque ele esteve mais dentro e ao redor do primeiro time nesta temporada.

Craig: Sim. Charles-Cook mostrou o que pode fazer saindo do banco este ano e é um divisor de águas, mas não quer ser um jogador de impacto saindo do banco – ele está sem contrato neste verão.

Willock tem uma temporada enorme no próximo ano, porque nas poucas vezes em que ele jogou, ele parecia bem. Mantenha a lesão livre e ele entrará em qualquer equipe da Liga Um no próximo ano.

Cisse, acho que precisa de uma mudança de atitude. Quando eu o vi tocar, ele não parece tão incomodado. Terá que realmente trabalhar duro para voltar à equipe. Não vejo como parte da temporada do próximo ano.

Eu gostaria de ficar é Ben Pringle. Novamente, não tenho certeza se ele está certo, porque Evans disse que precisava conversar com ele em algum momento desta temporada.

Quando ele está no jogo, ele faz um trabalho.

11. Stuart O’Keefe tem experiência na Premier League desde seu tempo com Cardiff; parece haver um pouco de coragem e conhecimento em como ele apóia a imprensa. Você diria que O’Keefe se tornou ainda mais importante após a lesão de Mark Byrne?

Lee: Absolutamente. Mark Byrne foi o jogador da temporada de Gillingham para 2017-18 e ele ficou ferido pelo resto da temporada foi um golpe devastador.

Na sua ausência, O’Keefe foi o meio-campista mais experiente de Gillingham e marcou quatro gols.

Tanto O’Keefe quanto Cisse assinaram um contrato para aumentar o número de defensivos do meio-campo e, quando começaram um do outro no 4-2-3-1, ainda estávamos sofrendo muitos gols.

Mudar para o meio-campo de diamante e deixar Alfie Jones sentado na frente das quatro costas e Stuart O´Keefe alinhando no lado direito do diamante nos dá um equilíbrio muito melhor.

Penso que o meio-campo de diamante combina melhor com Gillingham do que com o 4-2-3-1, porque nos permite jogar com dois atacantes mais próximos e o meia-atacante pode encontrar espaços de espaço atrás dos atacantes.

Quando jogamos com o 4-2-3-1 contra o Rochdale, marcamos duas vezes, mas parecíamos muito mais vulneráveis ​​na defensiva.

Evans acrescentou dois atacantes altos e poderosos desde que chegou – Mikael Mandron no verão passado e John Akinde em janeiro. Dado que você conquistou apenas 10 pontos em 15 jogos em que nenhum dos dois começou, foi importante contar com zagueiros que facilitam seu estilo de jogo?

Lee: John Akinde foi o destaque de Gillingham na janela de transferências de janeiro e, apesar de ter marcado apenas uma vez em nove jogos, sempre é difícil quando um jogador se transfere no meio da temporada.

Evans falou sobre a falta de condicionamento físico de Akinde e como ele precisa de mais tempo de jogo para se atualizar.

Acho que Akinde será uma contratação excepcional para Gillingham e, com uma pré-temporada completa e jogando por uma temporada inteira, veremos o melhor dele.

Mikael Mandron foi muito atingido, mas até a terceira rodada da FA Cup contra o West Ham United, ele e Brandon Hanlan foram a força de ataque de primeira escolha.

As contratações de Jordan Graham, Roberts e Akinde, no entanto, levaram Mandron mais abaixo na hierarquia e, com essas adições à equipe, pensamos que Mandron seria o melhor substituto.

Vemos Mandron começar em Sunderland e ele conseguiu uma chave, incluindo um empate sensacional a caminho de um ponto merecido, aumentando suas credenciais.

O Gillingham sempre teve atacantes poderosos: Danny Kedwell, Adebayo Akinfenwa, Tom Eaves, Mamady Sidibé, Leo Fortune-West e Iffy Onoura vêm à mente como atacantes que se encaixam nessa descrição.

Paul Raynor mencionou no verão, em relação ao estilo de jogo, que Gillingham será um time que pressiona pela frente e joga com intensidade no Fórum dos Fãs no ano passado – e eu diria que nosso estilo de jogo é fazer a bola avançar rapidamente com propósito.

O único jogo em que John Akinde e Mikael Mandron começaram juntos foi Southend – naquela ocasião, essa parceria de greve não funcionou – mas Akinde, Roberts, Mandron e Hanlan fornecem a Gillingham diferentes tipos de opções de ataque no terceiro final .

Craig: Difícil questão. É um caso que penso em ter o centro direito para a frente mais do que qualquer coisa.

Temos metas daqui e de todos os lugares este ano.

O fato de destaque deste ano é fãs estão mais preocupados se Ogilvie se machucou e não os atacantes, já que eles estavam “ok” e não tiveram um atacante de destaque.

Não acho que tenha sido realmente importante, pois ainda não tivemos essa grande faísca.

Além de Mandron e Akinde, você também tem atacantes versáteis, que provavelmente poderiam operar apenas fora de um alvo ou de longe nos três primeiros da frente … Brandon Hanlon, Mikael Ndjoli e Alex Jakubiak, com os dois últimos partindo desde então. Você pode ver Henry Woods entrando na equação?

Lee: Henry Woods é um meio-campista de ataque altamente cotado que esteve dentro e à volta da equipe principal na maior parte da temporada.

Embora Woods tenha feito apenas seis aparições no Gills nesta temporada, houve várias ocasiões em que ele esteve no banco como substituto não utilizado.

Nas partidas que Woods disputou, ele marcou pelo Gillingham contra o Bromley na Kent Senior Cup e está batendo na porta para disputar mais partidas da primeira equipe.

Os gols foram um problema nesta temporada: Alex Jakubiak e Hanlan marcaram sete gols, Mikael Ndjoli marcou três gols, Mandron marcou seis gols, Roberts marcou dois gols, Roberts marcou duas vezes e John Akinde marcou uma vez, então a falta de poder de fogo é o principal razão pela qual estamos no décimo primeiro e não estamos fazendo um verdadeiro desafio de play-off.

Embora eu acredite que veremos o melhor de Akinde na próxima temporada, os atacantes que são comprovados e são capazes de marcar vinte gols na Liga por temporada ficarão fora do nosso orçamento.

Vamos tentar encontrar outro Eaves, que não teve o melhor recorde de gols quando o contratamos inicialmente, mas depois que ele marcou o primeiro, ele fez uma corrida notável ao longo de duas temporadas.

Acho que vamos começar a próxima temporada com um novo atacante, Akinde e Hanlan como nossos três principais atacantes – e então pode ser entre Roberts e Mandron quem queremos oferecer um contrato como a quarta opção.

Craig: Ainda não, MAS Evans parece gostar de jovens e vai tentar: dar-se bem no treinamento, mostrar a atitude certa como o resto da equipe e será um caso de “por que não?”.

Talvez um caso de mostrar o que ele pode fazer nos últimos jogos da temporada (se jogarmos e se não houver nada para jogar).

14. Como você pensa em 2019-20 em geral? Bom ano para ser fã de Gills?

Lee: Qualquer melhoria na 13ª colocação da temporada passada na Liga Um e 55 seria considerada uma melhoria, mas esta temporada foi melhor do que o esperado.

É uma pena que a temporada tenha terminado por causa de circunstâncias excepcionais e a temporada ainda não tenha terminado completamente, porque, embora eu não pudesse nos ver assegurando a vaga final do playoff, apenas estar na conversa é melhor do que o esperado.

Ceder a apenas oito derrotas na liga é um enorme positivo, assim como o recorde defensivo – vencemos por 1 a 0 seis vezes nesta temporada na liga e na taça – mas descobrir que o atacante que pode fazer a diferença na próxima temporada será um desafio real.

A corrida da FA Cup, que nos viu derrotando Sunderland e Doncaster antes de jogar o West Ham na frente de uma multidão lotada, foi um grande positivo – esses são os tipos de partidas que queremos que Gillingham participe mais regularmente.

Eu diria também que a equipe de mídia social de Gillingham se destacou nas entrevistas, interagindo com os apoiadores e divulgando bastante conteúdo e respondendo às perguntas rapidamente.

O início da temporada foi talvez o aspecto mais negativo, mas acho que Steve Evans se deparou com algo que funciona e depois melhorou o que aquilo que funciona à medida que a temporada progredia.

Se for para oferecer contratos a Fuller, Ehmer, Byrne, Charles-Cook e Hanlan, cujos contratos expiram no verão, procuram oferecer contratos estendidos a Bonham e Ogilvie, em seguida, re-assinam Alfie Jones, Tom O’Connor e Olly Lee emprestados para a próxima temporada, juntamente com uma ou duas adições, podemos enfrentar um desafio.

Eu acho que nossas contratações de verão serão mais sobre quem podemos segurar, em vez de procurar trazer sete ou oito para melhorar o elenco.

Craig: No início da temporada, eu disse que não deveríamos falar sobre rebaixamento na Páscoa, ao contrário dos Easters anteriores.

Se ainda estivéssemos jogando, isso teria acontecido.

I wanted Steve in at the start of the season and knew he would do well.

For me we have done fantastically well and with talk of playoffs at one point it’s been nice to have a bit of a better feeling thinking what if other then what could be!

I think realistically if the season continues playoffs this year are now too much. As we dropped a few points past few games that I think will go against us.

o gills fan base is more I think a 50/50 split to if they believe we can make it or not.

The season been fine for me. Frustrating at times but not as frustrating as last couple of years.

Get some better quality balls into the box, get the strikers sharper and maybe next season we can push higher.

The season is what we wanted from the get go. A non relegation threatened season, have a go at hitting top ten and sniff at the playoffs.

If Evans stays, this season was all about building foundations and if I’m honest until the season stopped we were ahead of schedule.

Time to finish the building project next year!!



5 jogadores do WTA que precisam desesperadamente se engajar em hardcourts


TENNISNOW.COM

Notícia
Blogs
Vlogs
Fóruns
videogames
Membros TENNIS NOW TV

Daily News Vlog
Guia de Engrenagens
Atualizando com…
Feeds
Notícias
Feed do blog
Feed de TV EM TURNÊ

Pontuações
Perfis de jogadores
Calendário ATP
Calendário WTA
Listagens de TV PARCEIROS

Instrutivo

Encontre Tennis Lessons perto de você
Lições de tênis online com Tom Avery
Bolas amarelas difusas – vídeo aulas de tênis

Equipamento de ténis

Tennis Express – raquetes, sapatos e roupas



Joey Barton, chefe da Fleetwood, apóia retorno da League One


O gerente da Fleetwood, Joey Barton, afirma que seria “fora de ordem” liquidar a Sky Bet League One com base em pontos por jogo.

O time de Barton ficou em quinto lugar na tabela quando a pandemia de coronavírus forçou um desligamento esportivo, mas apenas seis pontos separam as equipes de terceiro e oitavo lugares da divisão, com equipes diferentes jogando diferentes números de jogos.

Embora os clubes da Liga Dois tenham votado pelo fim antecipado da temporada, não há senso de unanimidade a um passo. O proprietário de Peterborough, Darragh MacAnthony, já falou em nome de seis clubes envolvidos na batalha de promoção e rebaixamento e destacou seu forte desejo de continuar jogando.

Joey Barton não é fã de uma solução matemática.
Joey Barton não é fã de uma solução matemática (Martin Rickett / PA)

“Temos Sunderland, Peterborough e Wycombe, todos disputando um lugar de play-off. Parece que a Wycombe vai conseguir se ganhar pontos por jogo “, disse Barton ao programa Talk the Talk no YouTube da Matchroom Boxing.

“Darragh MacAnthony está aludindo que ele vai ficar bizarro. Eu ficaria louco também. Está fora de funcionamento. Temos que terminar a liga. “

Barton continuou descrevendo seus temores pelos meios de subsistência dos jogadores e pela viabilidade contínua de alguns clubes se a interrupção nas ações competitivas continuasse de maneira aberta.

Uma série de jogadores de alto nível na Premier League, incluindo Sergio Aguero, Willian, Raheem Sterling, Troy Deeney e Glenn Murray, expressaram preocupações de segurança, mas o instinto de Barton é que a maioria dos que estão mais abaixo na escada quer e precisa retornar .

“Eu tenho muitos rapazes que querem brincar. Eles não têm uma quantidade excedente de dinheiro no banco e muitos deles vivem semana a semana, mês a mês “, disse ele.

“Você tem 1.400 jogadores nas ligas inferiores por contrato. Eles não têm dinheiro no banco, crianças para arrumar na escola, hipotecas para pagar e carros para pagar.

“Se os garotos da Premier League não querem voltar porque não se sentem seguros e têm dinheiro para fazer isso, não há problema, não estou forçando ninguém.

“Mas muitos clubes precisam continuar com isso. Alguns clubes não sobrevivem. A classe trabalhadora que o futebol é … precisamos continuar se é seguro fazê-lo.

“Em algum momento, precisamos voltar à normalidade, porque, se não o fizermos, a economia falhará e a economia do futebol já está se deteriorando agora”.

Barton fica feliz em deixar suas ações falar, voltando ao campo de treinamento, camarim ou esconderijo.

Ele acrescentou: “Temos que nos mexer, é minha opinião. Fico feliz em assumir esse risco calculado com base em tudo o que me disseram sobre os testes, sobre o distanciamento em vigor.

“Se não voltarmos a andar, o que vamos fazer? Apenas sente-se e fique em nossa casa e observe as pessoas fecharem seus negócios. ”

Mantenha-se atualizado com as últimas notícias, fofocas e histórias de futebol, seguindo-nos @Football_P

Tag:
composto, Coronavírus, EFL, Futebol, FPstaff, Joey Barton, Caleidoscópio, Notícias, PA, Futebol, Esporte, história, Reino Unido



Wycombe Wanderers 2019-20 Temporada revisão


Wycombe Wanderers tem sido a principal história da temporada 2019-20 da EFL. Para refletir sobre sua campanha e considerar o futuro, Gabriel Sutton entrevistou Tom Hancock (@Tom_Hancock) da excelente Chairboys Central (@ChairboysCentrl), o principal podcaster Alex Broom (@AlexBroom_) e o devoto de todos os presidentes Sam Hills (@SimplyWycombe).

Gab: Surpreendentemente, o Wycombe Wanderers ocupa o oitavo lugar na Liga Um e, talvez o mais importante, tem o terceiro melhor ponto da divisão por jogo. Tendo sido apontado por muitos por rebaixamento (culpado), você deve estar incrivelmente orgulhoso de ser um Andarilho?

Tom: Orgulhoso foi a palavra operativa na última temporada e isso não mudou – bem, além de estar ainda mais orgulhoso agora. Éramos justamente apontados como forragem de rebaixamento antes da chegada dos Couhigs, mas ninguém poderia prever a jornada em que estivemos desde então. Esta foi a minha segunda temporada favorita como fã de Wycombe, mas quem sabe, ainda pode se tornar a minha – e talvez de todos – a favorita …

Alex: Sim, sempre tenho muito orgulho de apoiar minha equipe local, mas adoro ver-nos bem. Eu estava esperando um pouco de luta depois que o clube anunciou os cortes no orçamento no final da temporada 2018/19. Havia apenas um punhado de jogadores de campo no primeiro dia desta pré-temporada, para que alguém pudesse ser perdoado por prever uma batalha de rebaixamento. Isso parece uma vida atrás, agora. O empresário americano Rob Couhig deu ao clube um investimento significativo no último verão, na tentativa de conquistar os torcedores antes de uma proposta de aquisição. Isso permitiu a Gareth Ainsworth não apenas conseguir alguns corpos bem necessários na equipe, mas também alguma qualidade. Pessoas como David Wheeler, Fred Onyedinma e Jack Grimmer têm sido brilhantes e estariam bem fora do alcance financeiro, se não fosse por Couhig. Estou muito orgulhoso de ver um elenco tão talentoso em campo, então obrigado, senhor deputado Couhig.

Sam: Orgulhoso não começa a explicar como é ser um Andarilho. Ser um fã de Wycombe traz seu auge como quando Gapey conseguiu o objetivo que nos levou à Liga Um ou ver a Besta sair como uma nova contratação para todos aqueles verões atrás. Ele também diminui quando fomos derrotados no thriller por 4-3 em White Hart Lane, na FA Cup, em 2017. Penso, porém, como em todos os clubes de futebol, com as grandes alturas que houve a dor da derrota, mas o os baixos apenas aumentam as elevações. Esta temporada viu Wycombe desafiar muitos críticos que nos pediram rebaixamento, mas isso é algo em que prosperamos e não deixamos que isso afete as performances em campo às 15h do sábado à tarde. Escreva-nos por sua conta e risco, eu digo. Esta temporada permitiu que muitos andarilhos sonhassem e se perguntassem o que aconteceria. O crédito deve passar dos novos proprietários, para o maior gerente da EFL, para os jogadores, os fãs e a comunidade ao redor da Wycombe.

Gareth Ainsworth fez um trabalho incrível … se você tivesse que escolher duas ou três de suas principais qualidades que lhe permitiram inspirar essa equipe a superar em massa a maioria das temporadas, quais seriam?

Tom: Mais do que tudo, ele mantém os jogadores – e, crucialmente, ele mesmo – fundamentados. Alguns de nossos próprios torcedores criticaram a ‘Little Wycombe mentality’, mas passar a maior parte da temporada lá ou por aí – incluindo nove semanas no topo da liga, é claro – não nos transformou em um grande clube de repente. Chegamos aonde estávamos – onde ainda estamos (seríamos promovidos por pontos por jogo) – por mérito, mas Gareth não permitiu que nenhuma ilusão de grandeza se infiltrasse.

Eu também escolhia sua capacidade de se adaptar à oposição e seu uso taiolizado de certos indivíduos para maximizar essa adaptabilidade. Nossa vitória em Rotherham é um ótimo exemplo; implantamos um trapézio “invertido” 4-3-1-2 / 4-3-2-1, que tentei dissecar aqui.

Alex: Sem dúvida, a principal qualidade de Ainsworth são suas habilidades de gerenciamento de pessoas. Li uma entrevista há um tempo atrás, de Joe Jacobson, quando ele disse: “É impossível não se sentir motivado jogando sob Ainsworth, todo o esquadrão quer correr pelas paredes para ele”. Eu acho que é a melhor maneira de resumir ele como gerente. Ele cria uma atmosfera tão boa no camarim, onde todos os rapazes se dão bem. Os jogadores o descreveram como um “camarim como nenhum outro”, que é uma enorme prova do trabalho que Ainsworth realiza, não apenas em encontrar um bom jogador, mas também em alguém com uma boa atitude.

Eu sempre fui um grande fã de como Gareth permanece tão equilibrado. Definitivamente, ajuda que ele estivesse no comando quando o clube estava em seu pior estado nos últimos anos. Estávamos lutando maciçamente financeiramente e correndo o risco real de desistir da EFL, que pode ter sido fatal! Ele sabe como é trabalhar com um orçamento minúsculo – o que significa que o mercado de empréstimos tem sido vital. Essas experiências permitiram que ele desenvolvesse suas habilidades de contato com academias de outros clubes. Clubes maiores olham para os movimentos de empréstimo bem-sucedidos que jogadores como Alfie Mawson, Jamal Blackman e Eberechi Eze tiveram sob Ainsworth e querem confiar nele para ajudar a treinar mais jovens estrelas. Ainsworth é muito respeitado no futebol inglês, o que ajuda a garantir metas de empréstimos para seu time.

Sam: A primeira qualidade que eu associaria a Sir Gareth, do Ainsworth, é que ele realmente se preocupa com o clube de cima para baixo e é um dos poucos que pode ter uma transição bem-sucedida de jogador para gerente e lenda como ele teve. O fato de, às vezes, os clubes oferecerem, sem dúvida, mais dinheiro para se juntar a eles, não virou a cabeça uma vez. Em vez disso, ele permaneceu totalmente focado no que ele e Dobbo estavam fazendo e agora como se vê acordado no último dia, para a promoção para a liga um, para ficar na liga um e para esta temporada nos permitindo sonhar, Wycombe Wanderers estão começando a colher os frutos e agradecimentos sinceros devem ir a Gareth Ainsworth.

Em segundo lugar, gestão de homens. Não faz sentido ser gerente se você não pode motivar um time e criar mais do que um clube de futebol, uma família, se quiser. Veja o que os jogadores vieram para Wycombe e onde estão agora. Alfie Mawson jogou na Premier League; Ebere Eze é, em minha opinião, um futuro titular da Inglaterra e isso depende de clubes que confiam no ethos e nas filosofias de Gareth e permitem que emprestem empréstimos em Wycombe. Recrutar nomes como Bayo Akinfenwa e Dom Gape, de Southampton, é um verdadeiro testemunho de Ainsworth e os jogadores estão de pé e dizendo que eu quero ir jogar pela Wycombe.

A alegria no Adams Park nesta temporada não se limitou às questões de campo, já que o clube completou uma aquisição de 75% da Feliciana EFL Ltd, liderada por Rob Couhig. Você concorda que a dependência financeira reduzida do Supporters Trust – provavelmente nos próximos anos – é tão importante quanto o que estamos vendo em campo agora?

Tom: Definitivamente. A propriedade dos fãs é uma boa ideia, mas simplesmente não funcionou para nós. Bem, na verdade é uma declaração incompleta; estávamos em apuros. O Couhigs tem sido brilhante desde o primeiro dia e estou absolutamente confiante de que estamos nas mãos certas, pois avançamos em um momento incerto para o jogo. Temos uma boa plataforma para construir e estou empolgado com o futuro, apesar da incerteza causada pela crise atual.

Alex: Absolutamente. A propriedade do Trust era boa, mas havia muito que podia fazer. Era muito importante encontrar o investidor certo para assumir o controle depois de alguns problemas com proprietários anteriores no passado. Acredito que a família Couhig seja a pessoa certa para liderar o clube fora do campo. Eles provaram isso com vontade de fazer melhorias dentro da organização da jornada, desejando conhecer os fãs e, é claro, apoiando Gareth financeiramente.

Sam: Em primeiro lugar, agradecimentos sinceros devem ser enviados ao Supporters Trust, por absolutamente tudo o que fizeram ao longo dos anos. Embora eles não dirigissem o clube de futebol, eles foram capazes de criar um ambiente de várias maneiras que permitiram Wycombe ter sucesso e são uma parte significativa de onde estamos atualmente.

A aquisição, no entanto, traz uma nova era e período, e é seguro dizer que a aquisição foi tão importante quanto o que os fãs de Wycombe estavam vendo em campo.

Imagina-se que a principal prioridade dos Couhigs será a implantação da infra-estrutura correta … certamente introduzir equipes de jovens e reservas, talvez melhorar as instalações e melhorar a acessibilidade do clube, literal e figurativamente. Você está animado para ver se algumas dessas mudanças podem se concretizar?

Tom: Com certeza. A equipe ‘B’ já está na mira e nos tornamos o segundo clube da EFL, depois de Brentford, a ter um – e ei, parece ter funcionado muito bem para eles! Tenho certeza de que continuaremos a ver muitas melhorias em todo o mundo, seguindo o sucesso da Chairboys Village.

Alex: Uma equipe de jovens seria absolutamente enorme para Ainsworth. Ele é muito bom em trabalhar com jovens jogadores emprestados, então eu ficaria muito animado em ver o que ele poderia fazer com alguns dos nossos. Isso definitivamente ajudaria a fornecer mais profundidade no esquadrão também. A introdução de uma formação para jovens seria brilhante para o clube a longo prazo. É incomum para um clube de EFL não ter academia. Apenas Brentford, Wycombe e Crawley Town são membros da EFL sem um.

Sam: Tendo assistido a uma entrevista com Rob Couhig recentemente, onde ele respondeu às perguntas dos fãs, mal posso esperar pelas mudanças. A seleção sub-23 de jovens e reservas é um sinal de intenção e nos permitirá recrutar uma nova geração de jogadores. Também nos permitirá manter os principais atores sob contrato. E o fato de que novas gramações estão sendo colocadas enquanto falamos é apenas uma das primeiras de muitas atualizações para a melhoria das instalações que podemos esperar. Melhorar a comida e em torno de Adams Park, bem como a implementação da tela grande também ajudou.

David Stockdale está sem contrato em Birmingham no verão e pode estar aberto a uma nova adesão. Como ele se compara ao seu outro goleiro, Ryan Allsop? Cameron Yates terá alguma chance?

Tom: Eu certamente espero que ele esteja aberto a se reunir novamente – embora, com seus salários atuais, não tenha como acontecer isso. Quanto à forma como ele se destaca contra Allsop, a reputação que ele conquistou como o melhor goleiro do campeonato o precede. No final do dia, ele é uma rolha de chute melhor e – mais crucialmente, como esse é o ponto fraco da Allsop, às vezes em nosso prejuízo – muito mais imponente. Em termos de distribuição, eles provavelmente são semelhantes – o chute de Allsop é sua principal força – mas não deve surpreender que Stocko seja o goleiro superior, e a única razão pela qual ele não está empatado no primeiro lugar desde que voltou emprestado é que ele não está em forma.

Quanto a Cameron Yates, não posso comentar, pois ele só jogou no EFL Trophy. Assim, como a grande maioria de nossos fãs, nunca o vi em ação. Gaz e Dobbo parecem avaliá-lo, no entanto, como concedemos a ele uma prorrogação do contrato até junho de 2021 no verão passado.

Alex: Eu acho que Stockdale está com salários muito altos em Birmingham, então teremos que ver se ele está disposto a aceitar um pouco. Allsop tem sido sólido o suficiente quando jogou nesta temporada, mas a competição por lugares é sempre bem-vinda dentro da equipe. Yates tem alguma promessa, mas não tenho certeza se ele está pronto para disputar um primeiro lugar na equipe. Yates foi bom para as equipes juvenis de Leicester City e pode muito bem ser um goleiro da EFL, mas não acho que ele esteja pronto para o futebol da Liga Um ainda.

Sam: Ter dois goleiros com vasta experiência em Rocky e Stockdale não ajuda Cameron Yates, no entanto, acredito que um contrato de empréstimo para um lado que desafia a promoção da liga de futebol ajudará Cameron a sair e, mais cedo ou mais tarde, ele terá uma chance.

Houve um período no meio da temporada em que a lesão do lateral direito Jack Grimmer realmente o impediu de avançar, já que Sido Jombati não foi construído para replicar suas qualidades de ataque. Você concorda que agora estaria na mesa do meio sem a assinatura de Jason McCarthy?

Tom: Não foi necessariamente a perda do ataque de Grimmer que nos impediu; Sido simplesmente não é lateral-direito, apesar de ter chegado ao clube como um só. McCarthy, é claro, trouxe sua inabalável marcha para a frente pela qual todos o conhecemos, mas ele solidificou uma posição que se tornou nosso calcanhar de Aquiles quando não tínhamos escolha a não ser jogar zagueiros lá – mais regularmente Giles Phillips que Sido, na verdade mas obviamente estava longe do ideal em ambos os casos.

Alex: Não, não acho que seja uma afirmação justa. McCarthy é um jogador de qualidade, mas ele é apenas um em uma equipe bem treinada. A melhor posição de Jombati como meio de campo, por isso não era o ideal substituí-lo pelo excelente Grimmer na lateral direita. Apesar disso, acho que isso não teria nos custado pontos suficientes para cair completamente em um desafio de play-off. Uma grande porcentagem de nossos objetivos é proveniente de arremessos de bola com a varinha que é a bota esquerda de Jacobson, portanto, ter um zagueiro menos ofensivo pode não ter afetado o retorno da meta, tanto quanto alguns podem pensar.

Sam: A assinatura de Jason McCarthy para mim mostra um jogador que quer voltar. Ele ama o clube e a região, mais importante ainda, sua família ama a região. Não me surpreenderia se o dinheiro permitisse que Jase voltasse a um acordo permanente. Mas o que você faz porque a lesão no Grimmer foi um dos nossos melhores jogadores? Eu estava absolutamente zumbido quando ele entrou em julgamento no verão passado e foi o médico que eu disse que deveríamos assinar, não importa o quê. Ter os dois no clube daria a Gaz um problema de seleção. No entanto, Jase pode deslizar para dentro do zagueiro ou avançar ainda mais no arremesso. Sua contratação foi certamente um impulso oportuno, pois Grimmer se machucou, Phillips estava sendo jogado fora de posição e Sido é mais orientado para a defesa do que para avançar ou se sobrepor.

Às vezes, Wycombe tem essa reputação de ser uma equipe direta e às vezes isso é justo, mas você olha para alguém como Anthony Stewart … ele é mais talentoso do que o que seria possível obter crédito externo?

Tom: Dos nossos dois zagueiros de primeira escolha, ele é o mais empolgado, mas ele tem um passe longo e sublime no armário – veja suas assistências para Paul Smyth x Bolton no primeiro dia e Scott Kashket x Rotherham. Ele também mostrou um grande truque para se posicionar no primeiro, mas acho que nossos fãs geralmente reconhecem sua habilidade técnica.

Alex: Às vezes, somos bastante diretos, mas por que não jogar com os pontos fortes de uma equipe? Adebayo Akinfenwa é provavelmente o melhor alvo das ligas inferiores. “The Beast” oferece uma excelente saída quando ele está tocando, então seria quase idiota não usá-lo. Sua presença arrasta os defensores para longe dos jogadores mais rápidos, como Onyedinma ou Kashket, para que tenham mais espaço para se deparar. Em suma, a abordagem direta pode funcionar muito bem. As metades centrais Stewart e Charles podem ser uma grande parte dessa maneira de jogar. Stewart mostrou que está confortável com a bola, mas os passes mais longos costumam ser a maneira mais eficaz de jogar para esse time. É muito raro que Wycombe tivesse mais posse de bola do que seus oponentes nesta temporada (apenas uma vez isso aconteceu), então jogar pelas costas não é necessariamente algo em que nos especializamos.

Sam: Sua assistência contra o dia de abertura do Bolton e contra o Rotherham mostra as qualidades da bola que Anthony Stewart tem. Não há uma parceria de zagueiro melhor na Liga Um do que Anthony Stewart e Darius Charles.

Conte-nos sobre a história do zagueiro Darius Charles, pois é bastante inspiradora …

Tom: O cara é uma lenda absoluta. De ser informado de que ele nunca mais jogaria futebol por causa de seu quadril artrítico, e de ser um dos nossos jogadores da temporada, ele é uma história verdadeiramente inspiradora. Após inicialmente apenas assinar novamente um contrato de seis meses, ele agora está contratado até junho de 2021 e espero que ele consiga ver isso – porque, francamente, às vezes ele parece estar em agonia por aí, mesmo que isso não o impeça de se apresentar. imperiosamente.

Alex: Inspirado não faz justiça. Após um problema recorrente no quadril, ele foi informado por um médico que deveria se aposentar do futebol em maio de 2019. Ele só fez sete aparições para Wycombe em 2018/19 antes de deixar o clube em lágrimas depois de ser aconselhado a se aposentar. No entanto, sua atitude de nunca dizer morrer conseguiu mantê-lo no jogo. Após horas e horas de muito trabalho e treinamento, ele conseguiu provar sua aptidão com Ainsworth e ganhar um contrato para a primeira metade da temporada 2019/20. Depois de uma série de exibições excelentes, ele estendeu seu contrato até o final de 2020/21.

Sam:

A história de Darius Charles…

Tinha uma carreira potencial séria, terminando uma lesão no quadril.

Foi dito que ele nunca mais tocaria.

Liberado, mas informado se ele poderia sofrer um ferimento, um contrato estaria sobre a mesa.

Gaz manteve sua palavra.

19/10/2019 marca o vencedor contra o Sunderland.

Uma vez em forma, além de Rob Dickie, Darius Charles é o melhor zagueiro da Liga Um.

Naturalmente, Charles luta para jogar dois jogos por semana de maneira eficaz e, às vezes, é preciso alternar com Jombati, Giles Phillips e Jamie Mascoll. Qual desses jogadores você acha que deve ser o substituto padrão?

Tom: Essa é a única desvantagem; se ele pudesse gerenciar dois jogos por semana, acho que ainda estaríamos entre os dois primeiros. Se eu tivesse que escolher, eu iria para Sido; apesar de estar propenso ao momento estranho da loucura (veja a penalidade que concedeu contra Coventry), ele é tecnicamente mais adepto do que o ainda em desenvolvimento Phillips e apenas mais experiente. Independentemente disso, porém, nenhum deles pode segurar uma vela para Charles e precisaremos de outro zagueiro do calibre dele e de Stewart se quisermos ser competitivos novamente na próxima temporada – espero que Sido saia de graça e não pense que Phillips voltar.

Sam: Desses três Sido Jombati. Muitos sentem que Sido caiu ao longo dos anos. Ele ainda é capaz de fazer um trabalho. Giles ainda é inexperiente, dado que a Liga Um se tornou significativamente mais desafiadora em comparação com a nossa primeira temporada na liga. Mascoll é o substituto perfeito para JJ.

Mascoll – e Jombati, como mencionado acima – também podem cobrir uma área de defesa … Eu pensei que Mascoll tivesse feito uma mudança sólida na lateral-esquerda contra o Blackpool em janeiro. Com o orçamento da Wycombe, você está feliz por ter jogadores que podem jogar em mais de uma posição?

Tom: Mascoll é um lateral-esquerdo, mas é claro que ter jogadores versáteis é inestimável. Isso nasceu em grande parte por necessidade, mas acho que você poderia argumentar que os torna melhores jogadores. David Wheeler é provavelmente o melhor exemplo, tendo jogado nas duas laterais, em dois papéis marcantes e, mais recentemente, no meio-campo. Para ser honesto, todo esquadrão deve ter um bom homem ou duas utilidades.

Alex: Definitivamente, ajuda um esquadrão fraco a ter jogadores capazes de mudar de posição em várias posições. Também pode funcionar como uma vantagem taticamente também. Os gerentes de oposição podem ficar adivinhando a formação quando virem a ficha da equipe. Um que vem à mente foi a vitória por 3 x 0 em Rochdale, em setembro. Nós alinhamos em uma formação 3-5-2 com Onyedinma e Grimmer como laterais. Isso mudou para 4-3-3, aos 15 minutos, para permitir que Rochdale dominasse a bola no meio-campo e defesa. Uma vez que eles jogaram a bola em seu ataque, uma pressão intensa começou a permitir tempo mínimo na bola dentro do nosso terço defensivo. Foi um golpe de gênio de Ainsworth, pois apesar de apenas 29% de posse de bola, saímos com um gol limpo, três gols e três pontos!

Sam: Mascoll, Wheeler, Freeman, Sido, McCarthy, todos esses jogadores são capazes de jogar em várias posições. Quando eles apresentam um bom desempenho em um jogo, a Gaz dá uma dor de cabeça extra.

Contra Lincoln em setembro, Joe Jacobson se tornou o primeiro zagueiro desde Aden Flint em maio de 2015 a marcar um hat-trick na Liga Um. Ele já deve ter alcançado o status de lenda do clube?

Tom: Ele já estava, mas acho que isso garantiu! Quatro anos e meio depois que ele quase o fez, marcando o possível vencedor na final do play-off. (O que você quer dizer com gol próprio nas costas do goleiro?)

Alex: Absolutamente. Ele foi um grande servo durante os seis anos que teve em Buckinghamshire. Ele marcou muitos gols importantes em sets diretos para o clube (incluindo uma cobrança de falta em Wembley na final do play-off de 2015). JJ foi rotulado por Gareth como um de seus “generais”, o que mostra o quanto o gerente valoriza seu lateral galês. Ele está quase garantido um lugar na equipe da liga da temporada, que aos 33 anos é uma conquista fantástica.

Sam: Mantendo-o curto e simples, nos últimos 3 ou 4 anos, eu disse isso em todas as ocasiões – JJ é o melhor lado esquerdo da divisão. Portanto, para responder à sua pergunta – Sim, sem dúvida, JJ alcançou o status de lenda do clube.

Falando das lendas de Wycombe, Matt Bloomfield continua fazendo negócios aos 36 anos. Como você resume a influência dele sobre o clube nos últimos 17 anos?

Tom: Eu tinha apenas nove anos quando ele chegou, então basta dizer que não consigo me lembrar dos primeiros anos, mas ele é o Sr. Wycombe por um motivo. Vou segurar minhas mãos e admitir que duvidava que ele pudesse continuar na última temporada, mas ele nunca deu nada menos do que tudo para este clube e o 2019/20 foi, como muitos de nossos rapazes, a melhor campanha de todos os tempos . Um ‘número defensivo 10’ é um dos papéis menos glamorosos que você pode ter, mas é vital para a causa – e ele ainda apareceu com alguns gols, produzindo provavelmente o nosso final de temporada na vitória de fevereiro sobre o Bristol Rovers. No estilo de Ryan Giggs, ele marcou em todas as temporadas em que esteve no clube.

Alex: HEle se estabeleceu bem e verdadeiramente como uma lenda aqui no Adams Park. Você sempre sabe o que obterá quando Blooms estiver no time – 100% de esforço, paixão e vontade de ficar preso. Acho que a atitude dele em relação ao clube foi resumida quando ele quebrou o braço tentando mergulhar por um tempo. cabeçalho na cidade de York em 2016. Felizmente, seu cabeçalho entrou e nos salvou um ponto. Ele fez algumas mudanças sólidas nesta campanha usando a braçadeira de capitão. Ele também conseguiu realizar seu sonho de infância de tocar em Portman Road. Estou muito feliz por ele ter sido dispensado de Ipswich aos 19 anos de idade e ter feito apenas uma primeira participação na equipe na Copa da Liga. Desde que chegou a Buckinghamshire em 2003, ele certamente fez deste lugar sua casa.

Sam: Matt Bloomfield é o melhor profissional. Ele simplesmente é o Sr. Wycombe. Sempre coloca 10% a mais na idade dele e ainda não tem medo de sofrer uma lesão potencialmente grave, como visto no horrível choque de cabeças quando vencemos Lincoln. Sua influência no clube nos últimos 17 anos não pode ser subestimada. Eu posso imaginar que ele é a figura do pai no vestiário. Depois que Hayes saiu, Bloomfield e JJ são os últimos da velha guarda, no sentido de que estão no clube há tanto tempo. É ótimo ter essa experiência diariamente e em torno do clube.

Dominic Gape e Curtis Thompson jogaram um ao lado do outro com frequência nas últimas duas temporadas. Eles complementam o jogo um do outro?

Tom: Eu diria que eles são mais parecidos do que as pessoas podem pensar. Embora Gape apareça com um interruptor desligado e Thompson não, ambos geralmente são compostos de posse, mas sempre agressivos – já que é preciso saber que nosso meio-campo é muito mais sobre ganhar do que jogar. Eu acho que eles se complementam, no entanto, no sentido de que Gape é o ‘varredor superior’ mais profundo que protege as quatro costas, enquanto Thompson tem mais licença para andar.

Alex: 100% eles fazem. Ambos têm uma mentalidade bastante defensiva, o que dá à defesa alguma proteção sólida. Nos últimos estágios da temporada, jogamos um 4-4-1-1. Ter a energia incansável de Gape e Thompson no meio é vital para esse sistema. Ainsworth geralmente optou por jogar 4-3-3 com Wycombe, então perder um corpo no meio do parque poderia ter causado preocupação. No entanto, Gape e Thompson têm pernas para permitir que isso não seja um problema.

O alcance do passe de Gape é um atributo subestimado dele. Ele não tem nenhum problema em lançar a bola a 40 jardas para Akinfenwa ou um dos outros atacantes. A natureza agressiva de Thompson é ótima de assistir, ele é um mestre em manter o craque do adversário quieto, como mostra quando Marcus Maddison foi substituído cedo contra nós.

Sam: A dupla perfeita no meio do nosso parque. Thompson e Gape se complementam tão bem. Adicione Blooms, Oforborh, Wheeler ou Freeman e nosso meio-campo parece muito forte no papel e quase todos os jogos acontecem semana após semana.

Nnamdi Ofoborh substituiu Gape ou Thompson em certos pontos. Ele é claramente agressivo com uma constituição forte, se estiver ausente em determinadas áreas … você o quer de volta de Bournemouth?

Tom: Eu o manteria em um acordo permanente se pudéssemos fazer isso. Ele é cru, sim, mas é um excelente leitor do jogo – tanto em termos de antecipação de bolas fora de posse quanto de passes por conta própria (por exemplo, para Samuel x Ipswich) – e sua paixão é outra coisa. Para mim, ele mereceu mais minutos do que tinha.

Alex: Eu definitivamente acho que Nnamdi tem um enorme potencial. Devo admitir que não fiquei convencido com ele no começo, mas ele definitivamente provou que eu estava errado. Ele é uma figura imponente no meio-campo e também pode escolher um passe. Para alguém tão jovem, ele parece ter jogado nesse nível por um tempo. Eu definitivamente consideraria recuperá-lo assim que seu empréstimo expirar.

Sam: Sem sombra de dúvida. Nnamdi é um talento jovem e fantástico. Ele já desenvolveu muito nesta temporada. Alguns fãs do Bournemouth ficaram chocados com o fato de ele ter mudado duas divisões, já que já havia notícias dele invadindo seu primeiro time em algum momento desta temporada. Então, sim, 100% adoraria que Nnamdi Ofoborh voltasse para Wycombe.

Nick Freeman teve um enorme impacto do banco em uma sequência de jogos no início da temporada. Como você acha que ele se saiu desde quando foi encarregado de uma vaga?

Tom: Eu sempre fui fã de Nick Freeman, então acho que era inevitável que eu gostasse dele depois de suas apresentações no início da temporada contra o MK e o Southend em particular – mas eu não era o único! Ele é um jogador talentoso, criador, para não se encaixar perfeitamente no meio-campo – embora você possa se surpreender com o quanto ele fica preso -, mas ainda é decepcionante o fato de ele não ter insistido constantemente naqueles displays deslumbrantes. Aos 24 anos, no entanto, ele ainda tem tempo do seu lado e eu o apoiaria para realmente ‘estourar’ na próxima temporada, se começarmos a nos afastar do nosso futebol direto.

Alex: Freeman talvez tenha o que ele pensaria ser uma reputação indesejada de ser um ‘super sub’. Ele foi um dos principais jogadores de Wycombe no início desta temporada e uma grande razão pela qual estávamos indo tão bem. Ele não é abençoado com ritmo elétrico, por isso pode ser um fator pelo qual ele é tão eficaz saindo do banco – o jogo é prolongado e a defesa adversária está cansada, para que ele possa usar suas qualidades técnicas para expô-las. Ele tem um ótimo trabalho de pés e um desejo de sempre jogar a bola para frente.

Sam: Nick Freeman é um daqueles jogadores que, devido ao grande número de jogadores que temos, não começa semana após semana. Quase toda vez que ele sai do banco ou recebe uma posição inicial, ele acende os jogos e, às vezes, os ganha sozinho para nós.

Você alcançou seus resultados nesta temporada com frequência sem os gostos do velocista Rolando Aarons e do meio-campista criativo Alex Pattison … obviamente Aarons está em Motherwell agora, mas Pattison fez o suficiente em suas aparições para ganhar um contrato renovado?

Tom: Quando assinou um contrato pré-Couhig – o primeiro do verão – ele realmente impressionou em sua estréia com sua disposição e vontade de chutar de longe – algo que simplesmente não fazemos -, mas suas oportunidades foram limitadas. Não tenho certeza se ele estaria no topo da lista para um novo acordo.

Alex: Pattison se mostrou promissor em alguns dos jogos que disputou nesta temporada. Ele tem um grande alcance de passes que muitas vezes passa despercebido. Não sei ao certo onde o gerente está com ele depois de um período fora do time. Eu acho que Pattison continuará tendo uma carreira decente na EFL, quer ele receba um novo contrato ou não.

Sam: Alex Pattison é intrigante. Existe sem dúvida um jogador muito bom lá. Eu certamente o manteria por perto, uma vez que Blooms não será capaz de jogar semana após semana, é mais do que provável que JGS obtenha outro empréstimo e, potencialmente, Ofoborh voltando a Bournemouth. No entanto, como na maioria dos jogadores, as áreas de seu jogo precisam ser levadas para o próximo nível, mas citam um gerente melhor do que Ainsworth, que é capaz de desbloquear esse talento.

Jacob Gardiner-Smith parecia aproveitar seu tempo emprestado na Braintree, mas poderia ser um trecho para ele pular da sexta para a terceira – ou segunda! Você espera que ele consiga um novo contrato e, em seguida, um período de empréstimo mais avançado, ou ele poderá ser liberado?

Tom: A única vez que o vi tocar foi no Barnet, em julho. Ele marcou, mas sinceramente não me lembro do jogo – o primeiro amistoso da pré-temporada raramente é um clássico! Honestamente, não tenho ideia do que virá a seguir para ele; Receio que você precise perguntar a Gaz.

Alex: Não tenho ideia de como Ainsworth vê o JGS. Para ser sincero, não tenho certeza se o vi jogar desde a pré-temporada, por isso é injusto eu comentar sobre ele.

Sam: Jacob Gardiner-Smith deve ser recompensado com um novo contrato e, como você mencionou, receber um empréstimo mais avançado. Ele é emocionante para o futuro.

Você voltou em boa forma Fred Onyedinma, que conseguiu quatro aparições em fevereiro. Isso lhe deu um impulso oportuno?

Tom: Só vou dizer que Fred é nosso melhor jogador e provavelmente melhor que o padrão da Liga Um. Se ele tivesse ficado em forma durante toda a temporada, ainda poderíamos estar no topo agora. Duncan Alexander, também conhecido como @oilysailor, o descreveu como “suco da promoção” e ele não está errado.

Alex: Sim, ele é o nosso jogador mais talentoso. É uma pena que ele tenha perdido muito da temporada com uma lesão, porque eu sei que ele teria tido uma influência tão positiva para nós. O intervalo prolongado devido a Covid-19 poderia potencialmente favorecer Fred, pois ele não olhou para igualar a nitidez em algumas de suas aparições desde uma lesão. Desta vez, ele garantirá que está em boa forma e pronto para desempenhar um papel importante em qualquer futebol que está por vir.

Sam: Acho que ninguém pode subestimar o impacto que Fred tem em nossa equipe. Quando ele está em forma, ele é o nosso melhor jogador. Pode jogar em qualquer ala ou até mesmo como experimentado às vezes nesta temporada, no buraco atrás do atacante. Sem dúvida, ele nos deu um ímpeto mais agressivo e parecíamos mais perigosos daqui para frente quando ele voltou da lesão.

In your 2017-18 promotion season, Adebayo Akinfenwa started all but five league matches and your game revolved around him so much, that I almost felt like you didn’t know what to do when you were without him. With Akinfenwa starting just 20 times this year and Alex Samuel leading the line so well in certain games, have you been able to reduce the burden on Bayo?

Tom: I think so. We’ve had to manage how we use him and we’ve done it well – he’s still been involved in every league game this season bar the one when he was suspended. He’s still a huge part of what we do, but Samuel’s relentless pressing allows us to give opposing defenders nightmares of a different kind – even though the goal threat isn’t there with him because of the kind of player he is, probably the most selfless striker I’ve ever seen.

Alex: I think the better technical players that we now have has allowed Ainsworth to mix up the tactics somewhat. It is no secret that we were heavily reliant on Akinfenwa’s presence for a couple of years but it looks like we have other ways of playing now. Samuel’s press is key in games where the opposition like to play out from the back. He chases everything down so is a good player to have in those situations. I do think we are a better team with Akinfenwa in the side but it is nice to see the tactics mixed up when it is appropriate.

Sam: A number of Wycombe fans will know my opinion on the striker situation at Wycombe. Bayo is obviously our number one striker. Samuel does not cut it for me. I appreciate his hard work and his ability to run and run and run. Unfortunately, when Bayo is not in the team, Samuel’s goals are virtually non-existent, and we have relied on set pieces or a cross float over the keeper to grab a goal. With the way the league has gone this season, I feel a striker capable of hitting 10-15 to come in and play when Bayo hasn’t been able to would have been an added bonus. Kashket, Parker, Wheeler and Smyth all are fantastic players too and efforts have been great when played.

One of the things you need without Akinfenwa is an alternative reference point – and I’m sure you’d agree that neither Samuel nor Scott Kashket provide that. Does David Wheeler, who has such a good spring from either wide position, become more important when Bayo is out?

Tom: He’s definitely our biggest aerial threat after Bayo, but when the big man’s not in the side we tend to keep it on the deck a bit more and don’t necessarily look for that same kind of reference point. He’s a vital cog in the machine whether the Beast is on or not, to be honest. An unsung hero of the season – something I nominated him for – and he ended up going on NTT20 to talk about as a result.

Alex: Wheeler is good in the air but when Akinfenwa is not in the team we tend to be less direct. Wheeler is a very important player for us as he can play multiple roles very well. He has the ability to play as a traditional winger, an inside forward or in the middle just off the main striker. I like him playing put wide where he can drift inside and pick up the second balls. He is also excellent off the ball. His positioning is almost faultless and I have really enjoyed watching him play for my team.

Sam: David Wheeler for me is in contention for player of the season. Without a doubt he does not get the credit he deserves. A fantastic player and with Grimmer as well two fantastic additions to a team that were one of the so-called favourites for relegation. Able to hit Wheeler up top with winner against his old club MK and the equaliser against Ipswich on New Year’s Day in particular showed that Bayo and Wheeler can play well together.

The common theme in Paul Smyth’s career is that he seems to perform well in teams that are looking to upset the odds… he did it to an extent at QPR, then with Accrington Stanley and now your lot. He’s a bundle of positive energy really, isn’t he?

Tom: He certainly is. We haven’t seen as much from him as we would have liked – not just because he spent a chunk of time on the sidelines but also because he had to play on the left as Fred continued his recovery. The right is definitely his position and in our win at Bolton in February, the first time in goodness knows how long that we had him there and Fred on the left – his strongest position – they both tore it up. I’d 100% have him back here next season.

Alex: Smyth is another player who I really like. I can see that he has a great attitude and is really hungry to learn and improve. He is blessed with natural pace as well as quick feet. He will go far in the game, I am sure. He needs to keep up his hard work because he certainly has the natural ability to be a big player for QPR.

Sam: Whilst some may argue he may not have hit the numbers in terms of goals, he’s a breath of fresh air is Paul Smyth. On Paul Smyth and Wycombe all I will say is watch this space. Let’s just say if the season were to finish now, I would not be too upset regarding Paul Smyth as I don’t think we have seen the last of him in a Wycombe shirt.

Some might suggest that Josh Parker is a touch fortunate to have another year left on his contract. I don’t know if other clubs will come in for him when recruitment starts again, but if not, it’s surely vital for his career that he takes his opportunities next season?

Alex: Parker has not played badly this season he just has not really had a fair chance. When I have seen him, I like what he offers and I can understand why he featured for promotion winning Charlton last season. I hope we see more of him in a Wycombe shirt but I would not blame him if he wants to leave to chase first team football.

Sam: In my personal opinion, anyone that says Parker is a touch fortunate to have another year left is absurd. If he had been given the amount of chances Samuel had been given, I can comfortably say he’d have double if not triple the amount of goals Samuel has. Parker’s versatility can also help Gaz out and he certainly impressed with the chances given and I know a vast majority of fans agreed that he should have been given the chances in the team that Samuel had been getting.

Regardless of the outcome the authorities decide, how do you reflect on the bulk of 2019-20 for Wycombe Wanderers?

Tom: Football is about the ride and we’ve been on one heck of a ride – and it’s not over yet. Regardless of what happens, for the third time in as many Mays, I am thoroughly proud to be a Wycombe fan – especially with all that’s going on right now, as we as a club have conducted ourselves in a way others could learn from.

Alex: This season will only be remembered with fondness by all Wycombe fans. It is the campaign where we have achieved our highest ever league position, left trust ownership and led the division for a couple of months. Massive credit to the Couhigs, Gaz, Dobbo and the players for putting a smile on all of the fans’ faces.

Sam: To keep it short and simple. 19-20 has been a fantastic season for Wycombe. Regardless of like you say the outcome the authorities decide, Wycombe have defied the odds, exceeded expectations and allowed us the fans to dream. With the takeover and key contracts being handed out to Ainsworth and players such as Gape the future is going to be shining bright at Adams Park for a number of years to come.

If it doesn’t don’t worry and panic, we’ll just go back to our so called “little Wycombe tag” and keep flying under the radar. A message to the rest of the League One teams , “We are Wycombe Wanderers, you may not like the style of football we play, but we have earned our place so sit up and take note, we are not going anywhere anytime soon, well maybe the Championship if this season gets back underway at some point”.

Exciting times are coming for Wycombe.



‘Fala a verdade de acordo com’ – Esses fãs do Man City concordam com comentários sobre a temporada da Premier League



Manchester City: fãs concordam com os comentários de Noel Gallagher sobre anular a temporada da Premier League - Manchester City



Muitos fãs do Manchester City expressaram seu acordo com os comentários do músico Noel Gallagher sobre a atual temporada da Premier League.

Falando no talkSPORT, o ex-astro do Oasis e antigo torcedor do Manchester City disse que a campanha 2019/20 deveria ter sido declarada nula após o surto de coronavírus e acha que ela está apenas sendo preservada para garantir que os líderes fugitivos do Liverpool possam terminar. seu título de 30 anos de seca.

Ele disse: “Acho que deveria ter sido anulado semanas atrás. Apenas dê a eles o troféu, eles ganharam de qualquer maneira. O cínico em mim pensa que se o Liverpool não estivesse conquistando o título, se fosse o City ou o Chelsea, já teria sido anulado. ” Seus comentários foram posteriormente compartilhados no Twitter por @City_Chief.

A temporada da Premier League parou há nove semanas, com o Liverpool a 25 pontos de distância do segundo colocado Manchester City e precisando de apenas mais seis para usurpar o time de Pep Guardiola como campeão da Premier League.

Apesar dos apelos de numerosas figuras para anular a temporada, as negociações continuam nas últimas semanas para reiniciar a Premier League de uma maneira segura no que foi chamado de Projeto Reinício. O governo do Reino Unido deu esta semana luz verde para o futebol recomeçar a partir do início de junho.

A temporada da Premier League deveria ter sido cancelada até agora?

sim

sim

Não

Não

Esses fãs do Manchester City no Twitter concordaram plenamente com os comentários de Gallagher:

Fãs do Man City, vocês compartilham as opiniões de Gallagher sobre anular a temporada da Premier League? Compartilhe seus pensamentos na seção de comentários abaixo!







Revisão da temporada 2019-20 de Port Vale com Joe Baker, Nathan Shapland e Scott Challinor


Foi uma temporada progressiva para o Vale, então Gabriel Sutton conversou com os fãs ao longo da vida, Joseph Baker (@pvfclolly), Nathan Shapland (@_Nathanshapland) e Scott Challinor (@PicardyBreezer) para discuti-lo.

A explicação óbvia para a transformação de Port Vale de candidatos a rebaixamento em competidores do Play-Off seria a mudança de propriedade, que o clube precisava há muito tempo … e tenho certeza de que faz diferença que Carol e Kevin Shanahan sejam os próprios Valiants. Quão alto você classificaria isso como um fator por trás da mudança de sorte?

JOE: É realmente impossível exagerar a importância de Carol e Kevin. Estou falando sério quando digo que o dono anterior pretendia que esse clube deixasse de existir.

Kevin e Carol não apenas nos salvaram, quando muitos não o fizeram, mas também energizaram o clube com decisões sensatas, envolvimento da comunidade e honestidade; algo que nos falta há 20 anos.

Eles estão comprometidos com a construção sustentável, sem gastar muito e trazendo pessoas boas e trabalhadoras para o trabalho, que se manifestou em campo.

O renascimento do clube nos últimos 12 meses é milagroso, e até o dia da minha morte serei grato aos Shanahans por nos salvarem e reacendeu uma chama vacilante de amor pelo meu clube de futebol.

A confiança em Askey, a crença em tratar os jogadores adequadamente e a administração ética do clube galvanizaram uma instituição falida. Pessoas fantásticas.

NATHAN: Eu diria que essa é a principal razão do sucesso nesta temporada, considerando como foi o clube na temporada passada e como eles o revolucionaram não apenas por estar lá como empregador, mas por um amigo que sempre ouve os jogadores e fãs.

SCOTT: Eu acho que o fato de ambos amarem o clube dessa maneira é um fator enorme.

Eles estão muito mais engajados não apenas com a base de fãs, mas também com a comunidade em geral, e têm trabalhado proativamente com a equipe e os jogadores do clube simplesmente para melhorar os processos diários e melhorar sua vida profissional.

Eu sinto que também há um elemento maior de confiança dos fãs, que tem estado muito ausente nos últimos tempos. Lembro-me no dia da aquisição que Kevin Shanahan disse que a dupla se via como guardiã do clube, em vez de donos.

Isso deu o tom para a totalidade de seu reinado até agora. O fator de sentir-se bem ao redor do clube certamente parece ter se traduzido em resultados em campo.

John Rudge é uma lenda da Vale por sua administração do clube nos anos 80 e 90. Como você se sente ao tê-lo envolvido como conselheiro de futebol e presidente de clube?

JOE: Rudgey é o melhor técnico do clube, e ver um homem de sua estatura nos jogos, no campo de treinamento, e trabalhar com Kevin e Carol é excelente.

É uma honra condizente para uma das (possivelmente a) maior figura da história do clube e uma riqueza de conhecimentos para se basear.

Não tenho idéia de até que ponto seu papel é definido, mas ter um homem que entende o clube, tem um sucesso comprovado de bater acima do peso e recompensar uma lenda por anos de serviço heróico é um pacote perfeito para nós.

NATHAN: John estava antes do meu tempo, mas estou ciente de sua carreira lendária. Com toda a honestidade, não acho que seja muito mais do que um crachá – ele provavelmente faz alguma pesquisa, mas não muito mais.

SCOTT: Embora sempre exista um perigo em se apegar aos sucessos de uma época passada, acho que Rudge envolvido é a jogada certa, simplesmente porque ele é muito bom em escolher diamantes em bruto nos jogadores.

Notavelmente, Rudge tinha uma inclinação como gerente por adquirir jogadores mais baratos, com muito potencial, e vendê-los por maiores somas de dinheiro.

Sou a favor de que o atual gerente John Askey possa continuar com as coisas e ter o elenco jogando sua própria marca de futebol, mas Rudge simplesmente por estar lá nos bastidores não pode causar nenhum mal.

Ninguém merece mais o cargo de presidente de clube do que o gerente de maior sucesso na história da Vale.

John Askey, que parece um homem quieto, é um defensor da estabilidade e tem sido fiel em sua lealdade à formação, 4-3-3, e aos jogadores que começam. Houve algumas partes desta temporada em que alguns poderiam ter chamado ele para refrescar um pouco as coisas e manter os adversários adivinhando, mas no geral, isso ajudou a ter um lado resolvido com jogadores que conhecem seus papéis e responsabilidades de dentro para fora?

JOE: Às vezes, muitos fãs ficam enfurecidos com a recusa de Askey em se desviar de 433, sua cautela com substituições e sua política de transferência bastante “conservadora”, preferindo esperar por opções mais baratas e mais confiáveis ​​do que a aposta de grande nome e muito dinheiro.

Eu caí nessa armadilha. É claro que, ao longo do ano, os jogadores melhoraram individualmente e como uma unidade, com um excelente sistema de prensagem se tornando mais fluido pelo jogo.

Indivíduos como Shaun Brisley, Rhys Browne e Mark Cullen foram capazes de se encaixar perfeitamente nos 11 durante suspensões / lesões e a máquina continuou a funcionar sem problemas.

Gibbons, Smith, Burgess e Taylor melhoraram drasticamente, o que certamente é auxiliado pela consistência, minutos regulares e um estilo de jogo claro para se trabalhar.

Sim, sua segurança e consistência sempre nos custaram de vez em quando, mas comparado ao tumulto que tivemos que suportar nas últimas três temporadas, é revigorante ter um esquadrão confiável que, como uma unidade, é melhor do que você pode espere olhar para a lista de esquadrões.

NATHAN: 100%. Não sou contra a mudança de formação para se adequar a oponentes diferentes, mas fizemos isso nas últimas temporadas e não deixa os jogadores se acostumarem a jogar uns com os outros. Nesta temporada, todos conhecem seus empregos e todos têm bons entendimentos, como Legge e Smith, bem como Gibbons e Amoo, à direita.

SCOTT: Acho que ter uma equipe decidida ajuda, mas mesmo quando tivemos que reorganizar a equipe devido a lesões, cada novo membro da equipe que entra na equipe, principalmente no meio-campo e na frente três, caiu sem problemas no 4-3- 3 sistema.

Mesmo que os lados da oposição saibam como vamos organizar o sistema, o estilo de jogo de alta intensidade e gegen que adotamos nesta temporada parece irritar as penas das equipes visitantes.

Além disso, quando optamos por começar com uma formação diferente, com Askey experimentando um diamante no meio-campo uma ou duas vezes nesta temporada, não parecemos tão eficazes, pelo menos não desde o início de um jogo.

Penso que o 4-3-3 serve como uma formação eficaz para começar, o que nos mantém regidos no meio-campo e sólidos na retaguarda, permitindo-nos obter números dentro e ao redor de um ponto focal quando temos posse.

Este sistema nos permite aplicar pressão e forçar chances. Quando somos forçados a perseguir um jogo após a marca da hora e precisamos jogar um avanço extra, somos capazes de sacrificar um meio-campista por isso e parecemos jogar um sistema 4-4-2 convencional muito mais efetivamente nessas circunstâncias.

Não concordo necessariamente com isso, mas o próprio Askey disse uma vez que, enquanto jogadores individuais conhecem seus papéis, as formações são irrelevantes, o que poderia explicar por que o sistema de partida permaneceu tão consistente.

Coletivamente, você obviamente melhorou bastante com a campanha anterior, mas o goleiro Scott Brown foi talvez um dos mais destacados em 2018-19. Brown regrediu incrementalmente aos 35 anos, ou simplesmente não foi testado tanto?

JOE: Com um goleiro “médio” da Liga 2, teríamos sido rebaixados no ano passado. O heroísmo de Brown nos manteve vivos, e o clube é grato a ele.

Nesta temporada, com uma defesa equilibrada e uma equipe melhor, estamos definitivamente menos dependentes de sua excelência, e ele não é chamado a entrar em ação nem nos últimos anos.

Houve um aumento muito pequeno de erros evitáveis; não uivadores, às vezes não reivindicando cruzes ou sendo espancados no ar, mas ainda são bastante raros. Brown ainda é um excelente goleiro da Liga 2, um líder articulado e experiente nos camarins, e somos abençoados por tê-lo em nossas redes.

NATHAN: Ele definitivamente cometeu mais alguns erros do que na temporada passada, mas no geral ele ainda é muito bom para o nível. Eu diria um ligeiro declínio, mas nada para se preocupar.

SCOTT: Eu não diria necessariamente que Brown regrediu. Embora tenham sido poucos e distantes em 2018/19, ele cometeu um ou dois erros, e mais do que expiou isso ao longo da temporada com inúmeras salvamentos de chaves em momentos vitais.

Esse foi o caso novamente nesta temporada, ele cometeu erros às vezes, mas equilibrou isso mantendo-nos em jogos com mais frequência do que não. Pelo quão bom ele foi na temporada passada, seu desempenho na vitória deste ano em Northampton foi provavelmente uma das melhores atuações individuais de um goleiro da Vale em algum tempo.

Concordo que ele talvez não tenha tido tanto o que fazer nesta temporada como na campanha anterior, já que ele tem uma defesa decidida à sua frente.

O melhor lateral-direito da Liga Dois provavelmente está em algum lugar ao longo da A500, infelizmente, mas James Gibbons, pelo menos, parece estar recuperando a forma que o tornou Jovem Jogador do Ano em 2017-18. Você o vê como um ativo essencial?

JOE: James Gibbons é o nosso bem mais valioso. Ele tem tudo o que você quer de um atleta nas costas. Suas duas fraquezas são sua altura, parcialmente negada por uma habilidade aérea constante, e sua disciplina, que mostrou melhorias marcantes sob a tutela de Askey.

Ele tem ritmo elétrico, excelente determinação e taxa de trabalho, um cruzamento cada vez melhor e é capaz de elevar a equipe com excelentes habilidades de interceptação e combate. Ele não possui habilidades de passagem penetrantes, mas é mais do que capaz de superar seu homem por pura vontade e atletismo.

Com mais 2 anos em Port Vale, ele só melhorará sua distribuição e posicionamento. Qualquer clube da Liga 1 que necessite de alguma agressão, atletismo e capacidade de ataque deve dar uma olhada longa em Gibbons. Amo ele.

NATHAN: Ele é definitivamente o nosso bem mais valioso depois de assinar recentemente um novo acordo. Embora não seja o artigo final, ele fez muitos progressos nesta temporada na bola … ele é muito mais composto no cruzamento e sua energia na ala é uma grande parte do nosso jogo ofensivo. Defensivamente, ele é bom, mas precisa se tornar menos imprudente à medida que avança em muitas reservas. No geral, uma boa temporada – apesar de Ng ser irritantemente melhor!

SCOTT: Considerando que não assisto Perry Ng toda semana, não estou em posição de verificar a afirmação de David Artell de que o jovem é o melhor lateral-direito da liga. Embora tenhamos vencido a equipe na única vez em que jogamos e mantivemos um gol limpo, o Crewe está tendo uma temporada excelente, portanto, presumivelmente, o aspirante a internacional de Cingapura está fazendo algo certo!

Quanto a Gibbons, ele certamente fez progressos substanciais nesta temporada e talvez isso tenha acontecido com mais experiência. Nas duas campanhas anteriores, tivemos conhecimento de algumas atuações irregulares do lateral zagueiro, incluindo alguns passes duvidosos que, uma ou duas vezes, provaram a passagem da temporada para o adversário, muito para meu horror.

Felizmente, ele parece ter eliminado isso de seu jogo. Ele adora avançar, pode fazer cruzamentos e tem toda a tenacidade que você precisa de um zagueiro. Se eu escolhesse uma crítica persistente, diria que a disciplina dele ainda precisa de trabalho, já que vimos um ou dois desafios desnecessariamente imprevisíveis às vezes ao longo da temporada. Mesmo isso, no entanto, reduziu em comparação aos dois anos anteriores.

Recentemente, depois de colocar a caneta no papel em um novo contrato no Vale Park, ele cimentou seu lugar como um de nossos principais ativos e, aos 22 anos, ele só vai melhorar. Ele certamente está entre aqueles que provavelmente nos buscarão uma taxa de transferência no futuro.

Antes desta temporada, você estava em um declínio de três anos, que remonta à primeira temporada de Nathan Smith – e, no entanto, ironicamente, Smith sempre parece ser visto como uma rosa entre os espinhos. Você está satisfeito por o zagueiro estar finalmente jogando de um lado adequado à sua própria habilidade?

JOE: Acho que esta temporada é um resumo perfeito das qualidades de Smith; ele não é do tipo que enlouquece uma equipe por meio de liderança e habilidades ultrajantes. Se uma equipe for pobre, ele fará seu trabalho com firmeza e nunca o decepcionará. Se uma equipe é boa, o mesmo vale.

Smith nunca cometeu um erro em uma camisa de Port Vale e nunca tem um jogo “ruim”. Ele é o Sr. Confiável, capaz de reunir quase 100 aparições consecutivas, e um ligeiro ajuste no tendão no início deste ano foi sua primeira lesão adequada em sua carreira na Vale. Ele está abaixo do tamanho, mas não joga assim; Eu regularmente o vejo avançar muito mais (veja os comentários de Keith Curle sobre Smith marcando 6 ″ 5 Harry Smith em nosso primeiro jogo em casa), com uma excelente capacidade aérea, agressividade inabalável (ele adora um pedaço) e excelentes sentidos posicionais.

Ele fica abaixo do poder de posse, apesar das melhorias óbvias deste ano, e optará pela segurança primeiro, mas é o Smithy; não vai decepcioná-lo, faz o trabalho dele, sem problemas. Uma boa equipe ao seu redor permitiu que ele se concentrasse em seu próprio jogo, sem cobrir as manchas das muitas bagunças ao seu redor. Se ele sair de graça, alguém está recebendo uma pechincha absoluta e obterá anos de serviço consistente enquanto percebe que está lá.

NATHAN: Smith finalmente está em um lado que ele merece estar nesta temporada. Ele provavelmente foi o nosso melhor jogador, mas também, uma grande ajuda foi ter um parceiro regular em Legge como anteriormente, ele nunca teve um parceiro em seu nível. Ele tem isso em Legge, que trouxe o melhor de ambos.

SCOTT: É agradável ver, mas naquele tempo, o próprio Smith melhorou. Apesar de receber inúmeros elogios em sua temporada de sucesso, a inexperiência elevou sua cabeça feia às vezes nas últimas duas temporadas. Dito isto, ele tem sido um dos nossos jogadores mais consistentes, e jogar ao lado de um meio-campo experiente como Leon Legge apenas aprimorou seu desenvolvimento. Como o resto do time, ele realmente se destacou nesta temporada e se transformou em um zagueiro que não é apenas capaz de aerar, mas também confortável jogando a bola pelas costas. Eu acho que muito disso se resume ao estilo de jogo que Askey implementou. Aos 24 anos, Smith é outro grande trunfo e um dos nossos melhores jogadores, ainda mais preocupante do que o contrato dele no verão!

Smith e o parceiro Leon Legge marcaram nove gols combinados – o que é muito impressionante – e, embora eu tenha duvidado de Legge na pré-temporada, ele está sempre presente! Você acha que Askey está feliz em aceitar as limitações de posse de Legge, a fim de se beneficiar de seu domínio aéreo?

JOE: Leon Legge adora fazer os fãs entrarem em pânico com pelo menos uma carga bucaneira na parte de trás, tentando superar a pressão para frente, um jogo. Apesar disso, nós o amamos. Um excelente capitão, ele joga duro, agressivo e é um verdadeiro líder. Sua distribuição é obviamente a área mais fraca, mas, como Smith, ele não é necessário para isso; uma simples passagem para Joyce é suficiente para iniciar ataques. Legge é provavelmente o melhor defensor aéreo da liga e, quando combinado com sua liderança, o tornou indispensável este ano. Agitar a quantidade de minutos que ele tem, em sua idade, é uma prova do profissionalismo que mantém e seu trabalho fora de campo com instituições de caridade é um crédito para si e para o clube. Ele é bom no ar e na defesa de cruzamentos (alto e baixo), que chegamos a aceitar o lançamento de bolas longas. Espero que tenhamos mais 1-2 anos dele.

NATHAN: Eu não diria que ele ficaria feliz com isso, mas, dado que Legge é dominante no ar e ainda mostra um ritmo decente para sua idade, ele aceita. Ele também é alguém em quem Askey confia, já que entregou a ele a capitania.

SCOTT: Penso que o que Legge oferece em termos de capacidade aérea e experiência supera suas limitações. Suas atuações em jogos contra os seis primeiros desta temporada foram instrumentais, principalmente nos jogos fora de casa em Crewe e Northampton. É certo que houve momentos nesta temporada em que até o mais descontraído fã de Vale sofreu palpitações cardíacas ao assistir Leon tentar Beckenbauer sair da pressão na defesa, mas seu próprio jogo de bola melhorou um pouco esse termo, que uma vez mais uma vez, eu diria que a marca de futebol que jogamos agora.

Com Smith e Legge mostrando tanta consistência, você se sente um pouco como Kieran Kennedy e Shaun Brisley? O último parecia ter alguns bons jogos quando Smith estava ausente.

JOE: Não acho que veremos Kennedy de camisa Vale novamente; ele não jogou muito e não impressionou nesses jogos. Brisley, no entanto, apesar de um começo difícil, manteve Nathan Smith fora da defesa central, com várias atuações dominantes, especialmente em Northampton, onde ele era imperioso. Brisley é um meio-campo muito estável da Liga 2 que se sairá bem em qualquer clube desse nível; tê-lo como reserva é muito reconfortante. Adoraria mantê-lo por mais um ano e, talvez, como sucessor de longo prazo da Legge.

NATHAN: Brisley foi excepcional quando entrou depois que Smith se machucou. Ele teve a infelicidade de se machucar e Smith voltou e continuou de onde parou. Quanto a Kennedy, ele nunca teve uma chance; ele foi emprestado muito rapidamente, claramente não impressionou no treinamento.

SCOTT: – Eu acho que o argumento para a reintrodução de Smith na defesa central foi ajudado pelo fato de Brisley ter sofrido uma lesão no joelho na partida em Walsall. No geral, porém, sinto um pouco por ele. Quando ele defendeu Smith em nosso recente confronto contra os seis principais rivais, ele entregou tudo o que você esperava de um defensor de seu tamanho e idade, mostrando experiência, consciência, coragem aérea e um final clínico.

Não é de surpreender, pois ele atuou no time de Notts County duas temporadas atrás, que chegou aos playoffs. Com Leon Legge agora chegando aos 35 anos, Brisley, 29 anos, é um substituto pronto. Ele está, no entanto, sem contrato neste verão, acredito, permitindo uma pandemia, eu adoraria vê-lo recebendo um novo acordo.

No caso de Kennedy, sinto que ele parecia um pouco desconfortável quando foi trazido para a equipe no início da temporada. Ele parecia ter pouca confiança e autoconfiança e isso provavelmente foi exacerbado por alguns contratempos defensivos e dois gols em jogos separados. Ele já está emprestado em Wrexham há algum tempo, o que eu acho que é exatamente o necessário para dar um impulso à sua confiança e proporcionar um tempo de jogo vital. Se quisermos vê-lo de camiseta da Vale novamente, gostaria de ver mais dele em particular.

É improvável que o popular Mitch Clark esteja de volta a Burslem quando o futebol voltar e o jogador de bola Adam Crookes tiver sofrido lesões. Você ficaria feliz em ver Cristian Montano recomeçar na lateral esquerda ou precisa de uma nova opção de primeira escolha?

JOE: Clark demonstrou em minutos limitados que é melhor que a Liga 2, conseguindo controlar jogos com ritmo e energia abrasadores do lateral esquerdo. Poderia começar em breve por um bom time da Liga 1.

Crookes tem pontos positivos; firme, arrumado em posse, trabalhador, mas parecia ter dificuldades com a transição para a esquerda para fora de seu centro natural, onde acho que está o seu futuro.

Ficaria feliz com Monty na lateral-esquerda, desde que haja uma competição boa e experiente. Montano mostrou ser muito melhor para a esquerda do que para a ala, com grande ritmo, agressão, membros de polvo e leitura das intenções do ala.

Ele insiste em passar por todo o flanco direito da oposição uma vez por semana, parecendo o Ronaldinho nobre, com toques sedosos e uma corrida de gangue, antes que sua errática bola final o decepcione.

Entre seu erro em Mansfield no Boxing Day e seu escorregão em Walsall, pouco antes do adiamento, ele foi o nosso melhor e mais consistente jogador. Devido à transição tardia e ao estilo de jogo antinatural, você tem que aceitar o erro estranho com ele, mas se ele for nosso LB inicial na próxima temporada, não terei dúvidas.

NATHAN: O futuro de Mitch está no ar. Ele provavelmente admitiu que cometeu um erro ao ir para o Leicester. Quanto a Crookes, ele claramente não é um lateral-esquerdo … não é legal dizer, mas foi uma bênção disfarçada quando ele se machucou.

Eu gosto de Monty, ele seria um bom jogador de esquadrão e atuou admiravelmente na lateral esquerda, mas ele não é a resposta a longo prazo, Ryan Campbell-Gordon é altamente cotado na academia, mas provavelmente será em breve para ele, portanto a lateral esquerda é uma prioridade se pudermos fazer contratações no verão.

Idealmente, seria Clark, mas não sei qual é a probabilidade.

SCOTT: Para ser justo com Montano, ele realmente fez essa posição do lateral esquerdo. Ele fez uma atuação completa contra Frank Nouble, de Colchester, em nossa última vitória em Vale Park e sua tendência a sair dessa posição muitas vezes retira jogadores de oposição e zagueiros.

No entanto, suas incursões na metade da oposição às vezes nos deixaram vulneráveis ​​no intervalo, e uma ou duas vezes quando ele foi pego fora de posição, sofremos gols. Um jogador mais natural nessa posição era algo que muitos fãs da Vale esperavam em janeiro, e é por isso que Mitch voltar era tão importante.

Se não conseguirmos recuperá-lo no clube por mais alguns meses, enquanto eu ficaria feliz em ver Montano começar os jogos, acho que precisamos de outro lateral natural, talvez mais defensivo, para entrar na equipe para desafiar a longo prazo, principalmente se as lesões de Crookes continuarem.

Luke Joyce começou 35 jogos na liga nesta temporada e, como jogador de fora, não tenho certeza de ver alternativas, segurando médios no elenco com quem você poderia rotacionar o jogador de 32 anos para dar mais fôlego na próxima temporada. Você acha que o versátil Callum Evans poderia desempenhar esse papel ou é algo que você precisa recrutar?

JOE: Se o futebol estivesse mais alinhado com o esporte americano e tivéssemos “Jogadores Mais Valiosos”, Joyce provavelmente venceria o da Vale.

Ele é absolutamente crucial para nós, o ponto de apoio da equipe, combinando a percepção de especialistas para pegar as segundas bolas e uma capacidade de distribuição muito útil que pode vê-lo espalhar a bola de maneira soberba. Ele escolhe o ritmo em que tocamos e tem sido o único, experimentado constantemente em um meio-campo giratório de jovens em sua maioria jovens.

Você está certo ao dizer que não temos substitutos; o único jogo em casa que ele perdeu foi o único que perdemos a temporada toda. Uma prioridade para a próxima janela de transferência é identificar seu sucessor; Eu gostaria de ver um jogador mais jovem, não pertencente à liga ou liberado de uma academia de elite, sentado e sentado por um ano, aprendendo com o excelente profissional (e futuro treinador) que Joyce é.

Joyce ainda tem alguns anos para que não haja pressa imediata e ele nunca parece se machucar, mas precisamos planejar a longo prazo.

NATHAN: Essa é a única posição na equipe sem profundidade. Atkinson tocou lá quando Joyce foi suspenso, mas ele lutou, então é necessário um jovem subestudo no verão.

SCOTT: Pessoalmente, acho que Callum Evans se encontrou com poucos minutos, por isso é difícil julgar se ele seria um substituto pronto. Existe claramente um jogador lá, mas acho que ele talvez não tenha autoconfiança até certo ponto e isso possa se refletir em suas performances. Pela quantia que eu vi de Evans, eu gostaria de recrutar no departamento de meio campo, apenas para que haja um pouco mais de experiência lá, mas isso não quer dizer que Evans não tenha futuro no clube, eu ‘ gostaria apenas de ver um pouco mais dele.

Como mencionado acima, parece que a maioria dos seus meio-campistas tem visão de futuro, já que Askey parece gostar de uma mão e duas olhando para os meios-espaços entre as linhas. Isso combina com energéticos médios como Tom Conlon, Scott Burgess e Will Atkinson?

JOE: Se um meio-campista tem energia, é disciplinado e está arrumado sem ter uma excelente posse de bola, eles se adaptam ao nosso meio-campo.

Burgess tornou-se um excelente meio-campista jovem, o arquétipo de caixa a caixa. Conlon lutou por boa forma e forma no início da temporada, mas floresceu desde o Natal com seu estilo de jogo comprometido e ação e a varinha do pé esquerdo.

Cientes de que o tio Joycey ficará para trás e patrulhará o meio-campo, esses rapazes estão livres para voar adiante, atormentando, pressionando e chegando tarde na caixa, que Jake Taylor fez sua marca registrada antes de se machucar em janeiro. É feito para um futebol emocionante e realmente combina com os jogadores do clube.

NATHAN: Burgess foi a surpresa da temporada.

Ele não teve chance até outubro, mas está sempre presente, já que sua energia é fundamental em nosso sistema e também é nosso melhor passador na minha opinião … precisa adicionar mais gols ao seu jogo, mas com apenas 22 anos, ele é outro trunfo .

Conlon lutou no começo e se machucou, mas desde que voltou para o time em fevereiro, ele foi nosso melhor jogador. Excelente passador, bom prensador e excelente atacante – Atkinson não jogou muito, mas fez um bom trabalho quando necessário, combina com eles.

SCOTT: Absolutamente. Quer tenhamos Conlon, Burgess, Atkinson ou o animado Jake Taylor jogando nas posições de roaming no meio-campo, tudo foi eficaz e não teve um impacto negativo no desempenho geral da equipe.

É um elemento vital da maneira como jogamos, dando a esses meio-campistas a licença para avançar, e muitas vezes você vê os meio-campistas se aproximando do meio-campo quando aplicamos pressão. Ter um pivô no meio-campo como Joyce protegendo a defesa significa que os outros dois no meio-campo não precisam ficar sentados, e só precisam se defender quando concedemos posse e com o atletismo dos jogadores mencionados, eles são capazes de recuar e defender bem quando necessário.

Manny Oyeleke, pensei, foi o seu melhor jogador de outfield em 2018-19, quando estava em forma … mas ele fez apenas seis aparições neste período. Isso é apenas devido a lesões? Como alternativa, como ele não seria um substituto para Joyce, Conlon ou Burgess aos meus olhos, haveria problemas estilísticos ao incorporá-lo à configuração atual?

JOE: Manny Oyeleke é o nosso jogador mais talentoso, um craque avançado talentoso, com excelente explosão, força, visão e distribuição.

Ele desliza pelo campo e pode derrotar um homem à vontade, abrindo as defesas com um passe. Ele poderia jogar mais alto que a Liga 2. No entanto, ele realmente enfrentou lesões nas duas primeiras temporadas. Espera-se que um problema recorrente no tendão tenha sido resolvido por cirurgia, após seu desapontamento após um longo período no início da temporada.

Manny pode caber no meio-campo três como o membro mais avançado, e seu parceiro pode precisar ser mais cauteloso em suas incursões, já que Manny é mais eficaz quando liberto das responsabilidades de defesa, capaz de pegar a bola no espaço e dirigir. Pode haver uma ligeira alteração no 4-2-3-1, com Burgess / Conlon sentado ao lado de Joyce, mas não seria uma grande mudança. Um Manny em forma seria um grande trunfo no próximo ano.

NATHAN: É principalmente devido a lesões que ele não combina com o lado premente do jogo r, já que seu corpo se decompõe como quer que seja, e no seu melhor, ele ainda fica no lado r por sua capacidade de carregar bolas, ele é diferente dos outros médios.

SCOTT: Eu diria que as lesões são a questão principal aqui. No entanto, temos sido muito melhores em lidar sem ele nesta temporada.

Como resultado disso, acho que ele achou difícil forçar o caminho de volta ao acerto de contas devido à falta de minutos.

Em termos de onde ele se encaixaria na equipe, ele certamente é capaz de ser um executor do meio-campo, dada a sua força, mas como um meio-campo box-to-box com boa força e peso de passe, acho que ele seria mais adequado um dos pares do meio-campo em roaming, em vez de se envolver profundamente no papel de Joyce e manter as coisas funcionando.

Ele é um tipo diferente de meio-campista, como Burgess e Conlon, mas o que ele oferece o tornaria eficaz em qualquer uma das posições deles, na minha opinião. Dito isto, ele deve esperar por sua oportunidade e aproveitá-la. Conlon e Burgess estavam jogando muito bem para serem descartados.

David Worrall ganhou a promoção desse nível antes com Southend, mas acho justo dizer que a forma que ele produziu em 2019-20 não havia estado nas duas temporadas anteriores. Askey conseguiu pressionar certos botões para tirar o melhor proveito dele? O estilo de jogo combina com ele?

JOE: Não é nenhum segredo que Worrall e nosso gerente anterior se desentenderam, daí a sua ausência do lado. Desde sua reintegração sob Askey, Worrall tem sido nosso melhor jogador e, na minha opinião completamente imparcial, o melhor extremo da liga.

As pessoas apontam Williams, Kirk e Mayor, que jogam em lados muito melhores do ataque, cercados por talentos criativos, mas Worrall é, às vezes, nosso único criador. Seu registro de assistência, xAssists, passes principais, cruzamentos completou toda a classificação no top 3, e isso é um bônus à sua taxa de trabalho excepcional, que é infinita. Ele não cansa.

Nossa primeira vitória fora da temporada foi em Bradford, uma conseqüência direta do vigor ilimitado de Worrall e da determinação de vencer o homem e balançar em um cruzamento. Jogar fora em 433 permite que ele ofereça zagueiros limitados e tenha menos responsabilidades defensivas, maximizando seus talentos na área certa.

Ele até jogou no lado mais fraco para acomodar Amoo e ainda colocou os números principais da liga. Worrall poderia se alistar na Liga 1 sem problemas, mas seu desespero público por ficar só o cativou ainda mais os fãs. Com um estilo de alta energia combinando com ele perfeitamente, só posso imaginar mais sucesso com Worrall nos flancos.

NATHAN: Worrall foi rejuvenescido desde que Askey assumiu. É sabido que ele não se deu bem com Aspin, mas sob Askey, ele está jogando seu melhor futebol em anos. Mais uma vez, pressionando vem natural para ele, ele parece gostar da responsabilidade de ser o nosso principal atacante e tem um bom relacionamento com os fãs. Ninguém tem um palavrão a dizer sobre ele, o que é raro em qualquer base de fãs.

SCOTT: Eu acho que o estilo de jogo certamente combina com Worrall. Ele é um jogador notoriamente trabalhador, portanto, um jogo de alta pressão, onde ele está jogando na frente três e constantemente buscando assumir as costas, certamente joga com seus pontos fortes. Acho que sob o gerente anterior, Neil Aspin, vimos um choque de personalidades, e Worrall provavelmente não estava conseguindo o tempo de jogo em primeiro lugar para tentar provar sua forma. Desde que Askey assumiu o comando, Worrall sempre esteve presente e é um membro integrante da equipe. Ele é um vencedor de promoções neste nível, e agora estamos vendo praticamente o jogador que eu esperava ver quando ele chegou.

David Amoo confiou no ritmo de grande parte de sua carreira, então senti que poderia ter sido um risco contratá-lo aos 28 anos no último verão. Has the risk paid off, for you?

JOE: In short, yes. Amoo is a decent League 2 winger, still with electric pace, as well as a bit of height.

He has all the classic hallmarks of a League 2 winger; inconsistency, a lack of desire to contribute defensively (at times), and an ability to go missing, but on the flip side he can change a game in the blink of an eye (his run, to win a penalty, at home to Exeter turned a horrendous performance into a memorable one).

With Vale being a club who has always prided hard work and grit, he sometimes draws the ire of some of our more vocal fans, and those who seem to want Amoo with all the qualities of David Worrall, without clicking that that player exists, probably in the Championship. Amoo is an above-average League 2 player who scares defenders and can change a game; well worth the gamble, in my view.

NATHAN: Amoo on the whole has been gd goes more under the radar than others he’s our key outlet and often teams double up on him creating space for others he’s improved as the season’s gone on however he divides the fan base as some say he doesn’t track back enough I’d say that’s harsh as he’s made the most tackles out of all our forwards so he does do work defensively it just goes unnoticed ideally I wouldn’t have him as a starter next season but still as part of the squad.

SCOTT: It has, certainly. He is one of the quicker players in the squad and on his day can look unplayable.

Leyton Orient left-back James Brophy is one of the higher-rated full-backs in the division, and Amoo gave him a torrid time throughout when the O’s came to Vale Park, before hammering in the winning goal himself.

At 28, I think he’s probably got another couple of good years in him, and for all the concerns over his injury record when he arrived, he has held up well. He is a flair player who is unafraid to take on his full-back, is capable of crossing a ball and has an eye for goal. He is certainly among the most exciting wingers we’ve had at the club in recent years, probably since names such as Mark Marshall and Jennison Myrie-Williams.

When he gets the ball and runs at his full-back, there’s always a sense that he will make something happen. Perhaps natural for a winger of that style though, his work rate sometimes lacks, and he can have long spells in a game where he seems to go missing. However, the one time he beats his man, he tends to create a goal. I suppose you could say that’s the sign of a good player.

One of the main problems with last season’s Vale side was the tactical overreliance on Tom Pope… it seemed like going direct to the target man all the time both wore him out and denied his teammates chances to show their technical capabilities. With Mark Cullen arriving in the summer and Askey introducing a more floor-based style, have you reduced the burden on Pope?

JOE: We simply had to reduce our reliance on Pope, for several reasons; one, he doesn’t really suit the style.

Askey’s system is predicated on a mobile centre forward, and whilst Pope has served well in his minutes, it is clear that he isn’t entirely built for the demands of the high pressing way we play.

Also, he is undoubtedly on the decline, which is understandable at his age. He is still a dangerous forward, capable of lifting the team (Crewe away) and bullying Champions League defences with his imperious aerial prowess (Man City).

Cullen seems to have grown into the role and cursory research suggest he has one of the best minutes/goal ratio in the league (only behind Eoin Doyle). There’s a role for Pope, but it benefits everyone to utilise him in big games, in away games, and as an impact sub, and not the sole provider of goals for 90 minutes every week. He’s a massive, massive legend, mind.

NATHAN: Pope has started more than I expected he’s had a decent season better than last in recent months Cullen has undoubtedly become 1st choice with his linkup play and finishing benefiting him and the team Pope still has his uses but will become more of an bench option next season as we will definitely sign at least 1 striker plus Cullen will hopefully be fit from the start.

SCOTT: There’s certainly less of a reliance on Pope now, and it isn’t just because of Cullen’s arrival. I give Mark Cullen huge credit though – he has found opportunities hard to come by at times and yet his minutes played to goal ratio has been very impressive. Again, he’s out of contract this summer, so Covid permitting, I’m praying we can hang onto him!

The main factor in taking the pressure off Pope has been the new style of play. We are noticeably getting more numbers in and around the forward, be that Pope or Cullen, both from the flanks and midfield when we apply pressure, so we’re seeing the midfielders and wide men chipping in with more goals to ease the burden on the strikers, and the defenders are more than doing their bit in that respect too.

It looks like Port Vale will be playing in League Two again when football recommences, so how do you reflect on the season as a whole? Long-term, I imagine you’d see yourselves as a club worthy of operating in a higher division but are you pleased to attain your first top half finish since 2015-16?

JOE: Its been excellent. Many were content with consolidation, of arresting decline and putting the house in order.

Instead, we’ve been treated to a playoff challenge (which, based on form, I think we would have made), a memorable cup run (with Pope breaking Vale’s postwar scoring record, to bring us level with the Treble holders, after a 10 pass sweeping move, weeks after guaranteeing he would on Twitter, being right up there in the all-time great Vale moments), and a manager, club, players, and owners to be proud of.

For the first time in 20 years, we trust the people in charge, and we’re genuinely optimistic to for next few years. Our rise won’t be meteoric, fuelled by unsustained gambles and oil money, but hopefully one built on sensible, ethical decisions. Up the Vale.

NATHAN: Long term league one has to be the goal providing were ok financially after we get back to some sort of normality this season whatever happens from now has been a success better than I expected.

SCOTT: I’m thrilled with how the season has gone, and it has been a successful season however it ends.

Prior to the campaign, I set my stall out to finish around 14th to deem it a decent season. After successive relegation fights, Vale fans weren’t expecting the side to become promotion hopefuls overnight, but what we collectively wanted to see was tangible progress and a season free from the worry of being pulled into the dogfight. A finish in the region of 16th to 20th, having finished 20th, in the last two seasons would, therefore, have seemed somewhat underwhelming.

Before the season, I would have said that a top half was a great return. Top ten brilliant, any better than that: phenomenal. Considering that we’ve been on the border between brilliant and phenomenal for most of the season, I would say that Askey and co have surpassed all expectations for a first full season in charge, if you could call it that. Many of us were hoping for a good cup run and we had one of those to enjoy too, which brought us Pope’s historic equalising goal at Manchester City, where incidentally he broke the club’s post-war goalscoring record.

Being very picky, I’d have maybe liked to have reached the quarterfinals of the EFL Trophy or gone further after reaching the last eight stage in last season’s competition, but that really is nit-picking at a good all-round campaign. If it came down to Wembley in the Trophy or Wembley in the playoffs, I think we’d all pick the latter, and that did seem to be becoming a realistic possibility until the season was suspended.

Having proven our mettle as playoff hopefuls this time around, I would like to see us build on that and really count ourselves as genuine promotion contenders next season. Long-term, we need to be looking at a return to League One within the next two to three years and then look to stabilise and push on from there.

Promotion from League Two is the first hurdle though, but the example of Crewe, rather interestingly, gives me some optimism. For large parts of 2017/18, they were in a relegation battle alongside us before pulling away late in the campaign.

A stable midtable finish followed for them last season, and this time around they’re in the top three and challenging for the title. We’ve had our season of stability now, so when football does resume, should we be in League Two for our next full campaign, hopefully we can follow the same trajectory.

Much will depend on how the current Covid-19 situation unfolds, and none of us can be too sure of what the shape of the squad, and the league as a whole, will be like. But if we can carry on in the same vein, there’s reason to be optimistic for sure.



Os 5 jogadores mais quentes do Aberto dos EUA


TENNISNOW.COM

Notícia
Blogs
Vlogs
Fóruns
videogames
Membros TENNIS NOW TV

Daily News Vlog
Guia de Engrenagens
Atualizando com…
Feeds
Notícias
Feed do blog
Feed de TV EM TURNÊ

Pontuações
Perfis de jogadores
Calendário ATP
Calendário WTA
Listagens de TV PARCEIROS

Instrutivo

Encontre Tennis Lessons perto de você
Lições de tênis online com Tom Avery
Bolas amarelas difusas – vídeo aulas de tênis

Equipamento de ténis

Tennis Express – raquetes, sapatos e roupas



Rumores de futebol da mídia 4 de maio de 2020


O que dizem os jornais

O Real Madrid continua seu interesse em assinar Paulo Pogba depois de ser rejeitado no verão passado. O time da LaLiga deve apresentar uma oferta de £ 70 milhões para o jogador de 27 anos que fez apenas oito jogos pelo Manchester United nesta temporada, relata o Daily Mirror. O jornal acrescenta que a Juventus e o Paris Saint-Germain também podem fazer uma oferta ao meio-campista.

Outro jogador que se dirige para a porta de saída de Old Trafford é Alexis Sanchez, relata o Daily Mail. O jornal disse que Sanchez, atualmente emprestado à Inter de Milão, quer terminar sua carreira em seu país natal, o Chile, com a Universidad como um destino potencial.

Tanguy Ndombele está ansioso para permanecer no Tottenham, apesar de perder a vaga na primeira equipe, relata o Daily Telegraph. Diz-se que o Barcelona está interessado no meio-campista de 23 anos.

Antoine Griezmann poderia deixar Barcelona
Antoine Griezmann poderia deixar Barcelona (Steven Paston / PA)

O Barcelona tentará eliminar vários jogadores no verão, com o ex-alvo do Manchester United Antoine Griezmann entre aqueles que poderiam partir, ao lado de Luis Suarez e Ousmane Dembele, diz o Daily Mirror.

Arsenal e Chelsea disputam corrida para assinar Orkun Kokcu, relata o Daily Express. Kokcu, 19 anos, ingressou na equipe principal do Feyenoord em 2018 e também atuou no time sub-21 da Turquia.

Resumo das mídias sociais

Jogadores a assistir

Tiemoue Bakayoko: O Sevilla quer enfrentar o meio-campista do Chelsea e da França, relata o France Football.

Ivan Rakitic: O meio-campista de Barcelona e Croácia chamou a atenção do Tottenham depois que ele desvalorizou no Nou Camp, diz Mundo Deportivo.

Ibrahima Konate: O Manchester United fez uma pergunta sobre a contratação do zagueiro do RB Leipzig, segundo o Le10Sport.

Mantenha-se atualizado com as últimas notícias, fofocas e histórias de futebol, seguindo-nos @Football_P



Alvos de Marvin Sordell mudam após o papel na FA


Marvin Sordell congratulou-se com a chance de “criar um ambiente melhor para o belo jogo” depois de ingressar no conselho consultivo de inclusão da Federação de Futebol.

O atacante de 29 anos se aposentou do futebol no verão de 2019, dizendo que estava fazendo isso para proteger sua saúde mental.

Sordell também foi vocal na questão do racismo no jogo, e se junta à IAB junto com outro colega ex-jogador de Liam Rosenior.

Sordell twittou na manhã de sexta-feira: “Estou realmente empolgado por fazer parte deste fórum e espero ajudar a criar um ambiente melhor para o belo jogo neste país.

“Como deixei claro ao longo do processo (de ingressar no conselho), não estou interessado em política ou em construir qualquer tipo de carreira no futebol. Eu só quero ajudar a fazer mudanças.

A missão do IAB é promover a igualdade e a diversidade dentro do órgão nacional e no jogo mais amplo e é presidida pelo ex-zagueiro do Chelsea Paul Elliott.

Além de Sordell e Rosenior, a FA anunciou mais cinco novos membros.

O papel de observador do órgão antidiscriminação Kick It Out continuará, agora a ser cumprido por sua presidência, Sanjay Bhandari, enquanto a executiva-chefe do Centro de Saúde Mental Sarah Hughes, diretora de inclusão, diversidade e igualdade social da KPMG, Edleen John e diretora de inclusão da Transport for London e talento Staynton Brown também se juntaram.

O presidente do Kick It Out, Sanjay Bhandari, terá um papel de observador no Conselho Consultivo de Inclusão da FA
A presidente do Kick It Out, Sanjay Bhandari, terá um papel de observadora no Conselho Consultivo de Inclusão da FA (Bradley Collyer / PA)

Roya Mehdizadeh-Valoujerdy agora representará o Conselho da Juventude da FA, disse a FA.

Abandonando o quadro estão Chris Ramsey, chefe de treinamento da QPR, líder da diversidade da BBC Sport em Shelley Alexander e Arsenal e Danielle Carter, atacante da Inglaterra.

Elliott, presidente da IAB, disse: “Estou muito satisfeito em receber os novos membros. O padrão de candidatos era excelente e era importante atrair pessoas que pudessem oferecer uma nova perspectiva, dentro e fora do futebol. ”

Mantenha-se atualizado com as últimas notícias, fofocas e histórias de futebol, seguindo-nos @Football_P

Tag:
Arsenal, Chelsea, composto, diversidade, Igualdade, FA, Futebol, FPstaff, inclusão, Marvin Sordell, Saúde mental, Notícias, PA, racismo, Futebol, Esporte, história, Reino Unido